Paróquia Nossa Senhora das Dores - Nova Odessa, SP

Rua Duque de Caxias, 200, 13380-007 - Nova Odessa, SP

(19) 3466-1513

Liturgia Diária

janeiro/2022

  • Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

    LEITURA I – Num 6,22-27

    Leitura do Livro dos Números

    O Senhor disse a Moisés:
    «Fala a Aarão e aos seus filhos e diz-lhes:
    Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo:
    ‘O Senhor te abençoe e te proteja.
    O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face
    e te seja favorável.
    O Senhor volte para ti os seus olhos
    e te conceda a paz’.
    Assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel
    e Eu os abençoarei».

    Palavra do Senhor !

     

     

     

     

     

     

     

    SALMO RESPONSORIAL – Salmo 66 (67)

    Refrão: Deus Se compadeça de nós
    e nos dê a sua bênção.

    Deus Se compadeça de nós e nos dê a sua bênção,
    resplandeça sobre nós a luz do seu rosto.
    Na terra se conhecerão os seus caminhos
    e entre os povos a sua salvação.

    Alegrem-se e exultem as nações,
    porque julgais os povos com justiça
    e governais as nações sobre a terra.

    Os povos Vos louvem, ó Deus,
    todos os povos Vos louvem.
    Deus nos dê a sua bênção
    e chegue o seu temor aos confins da terra.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    LEITURA II – Gal 4,4-7

    Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas

    Irmãos:
    Quando
    chegou a plenitude dos tempos,
    Deus enviou o seu Filho,
    nascido de uma mulher e sujeito à Lei,
    para resgatar os que estavam sujeitos à Lei
    e nos tornar seus filhos adoptivos.
    E porque sois filhos,
    Deus enviou aos nossos corações
    o Espírito de seu Filho, que clama:
    «Abbá! Pai!».
    Assim, já não és escravo, mas filho.
    E, se és filho, também és herdeiro, por graça de Deus.

    Palavra do Senhor !

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    EVANGELHO – Lc 2, 16-21

    Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

    Naquele tempo,
    os pastores dirigiram-se apressadamente para Belém
    e encontraram Maria, José
    e o Menino deitado na manjedoura.
    Quando O viram,
    começaram a contar o que lhes tinham anunciado
    sobre aquele Menino.
    E todos os que ouviam
    admiravam-se do que os pastores diziam.
    Maria conservava todos estes acontecimentos,
    meditando-os em seu coração.
    Os pastores regressaram,
    glorificando e louvando a Deus
    por tudo o que tinham ouvido e visto,
    como lhes tinha sido anunciado.
    Quando se completaram os oito dias
    para o Menino ser circuncidado,
    deram-Lhe o nome de Jesus,
    indicado pelo Anjo,
    antes de ter sido concebido no seio materno.

     

    Palavra da Salvação!

     

     

     

     

     

     

     

     

  • Epifania do Senhor do Natal


    1ª Leitura – Is 60, 1-6

    Leitura do Livro do Profeta Isaías

    1Levanta-te, acende as luzes, Jerusalém, porque chegou
    a tua luz, apareceu sobre ti a glória do Senhor.
    2Eis que está a terra envolvida em trevas,
    e nuvens escuras cobrem os povos;
    mas sobre ti apareceu o Senhor,
    e sua glória já se manifesta sobre ti.
    3Os povos caminham à tua luz
    e os reis ao clarão de tua aurora.
    4Levanta os olhos ao redor e vê:
    todos se reuniram e vieram a ti;
    teus filhos vêm chegando de longe
    com tuas filhas, carregadas nos braços.
    5Ao vê-los, ficarás radiante,
    com o coração vibrando e batendo forte,
    pois com eles virão as riquezas de além-mar
    e mostrarão o poderio de suas nações;
    6será uma inundação de camelos
    e dromedários de Madiã e Efa a te cobrir;
    virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso
    e proclamando a glória do Senhor.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 71, 1-2.7-8.10-11.12-13 (R. Cf.11)

    R. As nações de toda a terra, hão de adorar-vos ó Senhor!

    1Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,*
    vossa justiça ao descendente da realeza!
    2Com justiça ele governe o vosso povo,*
    com eqüidade ele julgue os vossos pobres. R.

    7Nos seus dias a justiça florirá*
    e grande paz, até que a lua perca o brilho!
    8De mar a mar estenderá o seu domínio,*
    e desde o rio até os confins de toda a terra! R.

    10Os reis de Társis e das ilhas hão de vir*
    e oferecer-lhes seus presentes e seus dons;
    e também os reis de Seba e de Sabá*
    hão de trazer-lhe oferendas e tributos.
    11Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,*
    e todas as nações hão de servi-lo.R.

    12Libertará o indigente que suplica,*
    e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
    13Terá pena do indigente e do infeliz,*
    e a vida dos humildes salvará. R.

    2ª Leitura – Ef 3,2-3a.5-6

    Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios

    Irmãos:
    2Se ao menos soubésseis da graça que Deus me concedeu
    para realizar o seu plano a vosso respeito,
    3ae como, por revelação, tive conhecimento do mistério.
    5Este mistério, Deus não o fez conhecer
    aos homens das gerações passadas
    mas acaba de o revelar agora, pelo Espírito,
    aos seus santos apóstolos e profetas:
    6os pagãos são admitidos à mesma herança,
    são membros do corpo,
    são associados à mesma promessa em Jesus Cristo,
    por meio do Evangelho.
    Palavra do Senhor.

    Evangelho – Mt 2,1-12

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 2,1-12

    1Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia,
    no tempo do rei Herodes,
    eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém,
    2perguntando:
    ‘Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer?
    Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.’
    3Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado
    assim como toda a cidade de Jerusalém.
    4Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei,
    perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer.
    5Eles responderam: ‘Em Belém, na Judéia,
    pois assim foi escrito pelo profeta:
    6E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum
    és a menor entre as principais cidades de Judá,
    porque de ti sairá um chefe
    que vai ser o pastor de Israel, o meu povo.’
    7Então Herodes chamou em segredo os magos
    e procurou saber deles cuidadosamente
    quando a estrela tinha aparecido.
    8Depois os enviou a Belém, dizendo: ‘Ide e procurai
    obter informações exatas sobre o menino.
    E, quando o encontrardes, avisai-me,
    para que também eu vá adorá-lo.’
    9Depois que ouviram o rei, eles partiram.
    E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante
    deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.
    10Ao verem de novo a estrela,
    os magos sentiram uma alegria muito grande.
    11Quando entraram na casa,
    viram o menino com Maria, sua mãe.
    Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram.
    Depois abriram seus cofres
    e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra.
    12Avisados em sonho para não voltarem a Herodes,
    retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.
    Palavra da Salvação.

  • Segunda-feira depois da Epifania do Natal

    1ª Leitura – 1Jo 3,22 – 4,6

    Caríssimos:

    22Qualquer coisa que pedimos recebemos dele,
    porque guardamos os seus mandamentos
    e fazemos o que é do seu agrado.
    23Este é o seu mandamento:
    que creiamos no nome do seu Filho, Jesus Cristo,
    e nos amemos uns aos outros,
    de acordo com o mandamento que ele nos deu.
    24Quem guarda os seus mandamentos
    permanece com Deus e Deus permanece com ele.
    Que ele permanece conosco,
    sabemo-lo pelo Espírito que ele nos deu.
    4,1Caríssimos,
    não acrediteis em qualquer espírito,
    mas examinai os espíritos para ver se são de Deus,
    pois muitos falsos profetas vieram ao mundo.
    2Este é o critério para saber se uma inspiração vem de Deus:
    todo espírito que leva a professar
    que Jesus Cristo veio na carne
    é de Deus;
    3e todo espírito
    que não professa a fé em Jesus
    não é de Deus;
    é o espírito do Anticristo.
    Ouvistes dizer que o Anticristo virá;
    pois bem, ele já está no mundo.
    4Filhinhos, vós sois de Deus
    e vós vencestes o Anticristo.
    Pois convosco está quem é maior
    do que aquele que está no mundo.
    5Os vossos adversários são do mundo;
    por isso, agem conforme o mundo,
    e o mundo lhes presta ouvidos.
    6Nós somos de Deus.
    Quem conhece a Deus, escuta-nos;
    quem não é de Deus não nos escuta.
    Nisto reconhecemos o espírito da verdade
    e o espírito do erro.
    Palavra do Senhor.

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 2, 7-8. 10-11 (R.8a)

    R. Eu te darei por tua herança os povos todos.

    7O decreto do Senhor promulgarei, +
    foi assim que me falou o Senhor Deus: *
    ‘Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!
    8Podes pedir-me, e em resposta eu te darei +
    por tua herança os povos todos e as nações, *
    e há de ser a terra inteira o teu domínio. R.

    10E agora, poderosos, entendei; *
    soberanos, aprendei esta lição:
    11Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória *
    e prestai-lhe homenagem com respeito! R

    Evangelho – Mt 4,12-17.23-25

    Naquele tempo:
    12Ao saber que João tinha sido preso,
    Jesus voltou para a Galiléia.
    13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum,
    que fica às margens do mar da Galiléia,
    14no território de Zabulon e Neftali,
    para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías:
    15‘Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar,
    região do outro lado do rio Jordão, Galiléia dos pagãos!
    16O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz;
    e para os que viviam na região escura da morte
    brilhou uma luz.’
    17Daí em diante, Jesus começou a pregar, dizendo:
    ‘Convertei-vos, porque o Reino dos Céus está próximo.’
    23Jesus andava por toda a Galiléia,
    ensinando em suas sinagogas,
    pregando o Evangelho do Reino
    e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo.
    24E sua fama espalhou-se por toda a Síria.
    Levavam-lhe todos os doentes,
    que sofriam diversas enfermidades e tormentos:
    endemoninhados, epiléticos e paralíticos.
    E Jesus os curava.
    25Numerosas multidões o seguiam,
    vindas da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia,
    e da região além do Jordão.
    Palavra da Salvação.
  • Terça-feira depois da Epifania do Natal

    1º Leitura – 1Jo 4,7-10

    Caríssimos:
    7Amemo-nos uns aos outros,
    porque o amor vem de Deus
    e todo aquele que ama
    nasceu de Deus e conhece Deus.
    8Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus,
    pois Deus é amor.
    9Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós:
    Deus enviou o seu Filho único ao mundo,
    para que tenhamos vida por meio dele.
    10Nisto consiste o amor:
    não fomos nós que amamos a Deus,
    mas foi ele que nos amou
    e enviou o seu Filho
    como vítima de reparação pelos nossos pecados.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 71 (72), 1-2. 3-4ab. 7-8 (R. Cf. 11)

    R. Os reis de toda a terra, hão de adorar-vos, ó Senhor!

    1Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, *
    vossa justiça ao descendente da realeza!
    2Com justiça ele governe o vosso povo, *
    com eqüidade ele julgue os vossos pobres.R.

    3Das montanhas venha a paz a todo o povo, *
    e desça das colinas a justiça!
    4aEste Rei defenderá os que são pobres, *
    4bos filhos dos humildes salvará, *R.

    7Nos seus dias a justiça florirá *
    e grande paz, até que a lua perca o brilho!
    8De mar a mar estenderá o seu domínio, *
    e desde o rio até os confins de toda a terra!R.

    Evangelho – Mc 6,34-44

    Naquele tempo:
    34Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão,
    porque eram como ovelhas sem pastor.
    Começou, pois, a ensinar-lhes muitas coisas.
    35Quando estava ficando tarde,
    os discípulos chegaram perto de Jesus
    e disseram: ‘Este lugar é deserto e já é tarde.
    36Despede o povo,
    para que possa ir aos campos e povoados vizinhos
    comprar alguma coisa para comer.’
    37Mas, Jesus respondeu:
    ‘Dai-lhes vós mesmos de comer.’
    Os discípulos perguntaram:
    ‘Queres que gastemos duzentos denários
    para comprar pão e dar-lhes de comer?’
    38Jesus perguntou:
    ‘Quantos pães tendes? Ide ver.’
    Eles foram e responderam:
    ‘Cinco pães e dois peixes.’
    39Então Jesus mandou
    que todos se sentassem na grama verde, formando grupos.
    40E todos se sentaram,
    formando grupos de cem e de cinqüenta pessoas.
    41Depois Jesus pegou os cinco pães e os dois peixes,
    ergueu os olhos para o céu,
    pronunciou a bênção, partiu os pães
    e ia dando aos discípulos, para que os distribuíssem.
    Dividiu entre todos também os dois peixes.
    42Todos comeram, ficaram satisfeitos,
    43e recolheram doze cestos
    cheios de pedaços de pão e também dos peixes.
    44O número dos que comeram os pães
    era de cinco mil homens.
    Palavra da Salvação.
  • Quarta-feira depois da Epifania do Natal

    1ª Leitura – 1Jo 4,11-18

    11Caríssimos, se Deus nos amou assim,
    nós também devemos amar-nos uns aos outros.
    12Ninguém jamais viu a Deus.
    Se nos amamos uns aos outros,
    Deus permanece conosco
    e seu amor é plenamente realizado entre nós.
    13A prova de que permanecemos com ele,
    e ele conosco,
    é que ele nos deu o seu Espírito.
    14E nós vimos, e damos testemunho,
    que o Pai enviou o seu Filho
    como Salvador do mundo.
    15Todo aquele que proclama
    que Jesus é o Filho de Deus,
    Deus permanece com ele,
    e ele com Deus.
    16E nós conhecemos o amor que Deus tem para conosco,
    e acreditamos nele.
    Deus é amor:
    quem permanece no amor,
    permanece com Deus,
    e Deus permanece com ele.
    17Nisto se realiza plenamente o seu amor para conosco:
    em nós termos plena confiança no dia do julgamento,
    porque, tal como Jesus, nós somos neste mundo.
    18No amor não há temor.
    Ao contrário, o perfeito amor lança fora o temor,
    pois o temor implica castigo,
    e aquele que teme não chegou à perfeição do amor.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 71 (72), 1-2. 10-11. 12-13 (R. Cf. 11)

    R. As nações de toda a terra, hão de adorar-vos, ó Senhor!

    1Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,*
    vossa justiça ao descendente da realeza!
    2Com justiça ele governe o vosso povo,*
    com eqüidade ele julgue os vossos pobres.R.

    10Os reis de Társis e das ilhas hão de vir*
    e oferecer-lhes seus presentes e seus dons;
    e também os reis de Seba e de Sabá*
    hão de trazer-lhe oferendas e tributos.
    11Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,*
    e todas as nações hão de servi-lo.R.

    12Libertará o indigente que suplica,*
    e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
    13Terá pena do indigente e do infeliz,*
    e a vida dos humildes salvará.R.

    Evangelho – Mc 6,45-52

    Depois de saciar os cinco mil homens,

    45Jesus obrigou os discípulos a entrarem na barca
    e irem na frente para Betsaida, na outra margem,
    enquanto ele despedia a multidão.
    46Logo depois de se despedir deles,
    subiu ao monte para rezar.
    47Ao anoitecer, a barca estava no meio do mar
    e Jesus sozinho em terra.
    48Ele viu os discípulos cansados de remar,
    porque o vento era contrário.
    Então, pelas três da madrugada,
    Jesus foi até eles andando sobre as águas,
    e queria passar na frente deles.
    49Quando os discípulos o viram andando sobre o mar,
    pensaram que era um fantasma
    e começaram a gritar.
    50Com efeito, todos o tinham visto e ficaram assustados.
    Mas Jesus logo falou:
    ‘Coragem, sou eu! Não tenhais medo!’
    51Então subiu com eles na barca. E o vento cessou.
    Mas os discípulos ficaram ainda mais espantados,
    52porque não tinham compreendido nada a respeito dos pães.
    O coração deles estava endurecido.
    Palavra da Salvação.

  • Quinta-feira depois da Epifania do Natal

    1ª Leitura – 1Jo 4,19 – 5,4

    Caríssimos:

    19Quanto a nós, amemos Deus
    porque ele nos amou primeiro.
    20Se alguém disser:
    ‘Amo a Deus’,
    mas entretanto odeia o seu irmão,
    é um mentiroso;
    pois quem não ama o seu irmão, a quem vê,
    não poderá amar a Deus, a quem não vê.
    21E este é o mandamento que dele recebemos:
    aquele que ama a Deus,
    ame também o seu irmão.
    5,1Todo o que crê que Jesus é o Cristo,
    nasceu de Deus,
    e quem ama aquele que gerou alguém,
    amará também aquele que dele nasceu.
    2Podemos saber que amamos os filhos de Deus,
    quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.
    3Pois isto é amar a Deus:
    observar os seus mandamentos.
    E os seus mandamentos não são pesados,
    4pois todo o que nasceu de Deus vence o mundo.
    E esta é a vitória que venceu o mundo:
    a nossa fé.
    Palavra do Senhor.

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 71 (72), 1-2. 14.15bc. 17 (R. Cf 11)

    R. Os reis de toda a terra, hão de adorar-vos, ó Senhor!

    1Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, *
    vossa justiça ao descendente da realeza!
    2Com justiça ele governe o vosso povo, *
    com eqüidade ele julgue os vossos pobres.R.

    14Há de livrá-los da violência e opressão, *
    pois vale muito o sangue deles a seus olhos!
    15bHão de rezar também por ele sem cessar, *
    15cbendizê-lo e honrá-lo cada dia.R.

    17Seja bendito o seu nome para sempre! *
    E que dure como o sol sua memória!
    Todos os povos serão nele abençoados, *
    todas as gentes cantarão o seu louvor!R.

    Evangelho – Lc 4,14-22a

    Naquele tempo:
    14Jesus voltou para a Galiléia, com a força do Espírito,
    e sua fama espalhou-se por toda a redondeza.
    15Ele ensinava nas suas sinagogas e todos o elogiavam.
    16E veio à cidade de Nazaré, onde se tinha criado.
    Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado,
    e levantou-se para fazer a leitura.
    17Deram-lhe o livro do profeta Isaías.
    Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito:
    18‘O Espírito do Senhor está sobre mim,
    porque ele me consagrou com a unção
    para anunciar a Boa Nova aos pobres;
    enviou-me para proclamar a libertação aos cativos
    e aos cegos a recuperação da vista;
    para libertar os oprimidos
    19e para proclamar um ano da graça do Senhor.’
    20Depois fechou o livro,
    entregou-o ao ajudante, e sentou-se.
    Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele.
    21Então começou a dizer-lhes:
    ‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura
    que acabastes de ouvir.’
    22aTodos davam testemunho a seu respeito,
    admirados com as palavras cheias de encanto
    que saíam da sua boca.
    Palavra da Salvação.

  • Sexta-feira depois da Epifania do Natal

    1ª Leitura – 1Jo 5,5-13

    Caríssimos:
    5Quem é o vencedor do mundo,
    senão aquele que crê
    que Jesus é o Filho de Deus?
    6Este é o que veio pela água e pelo sangue: Jesus Cristo.
    (Não veio somente com a água,
    mas com a água e o sangue).
    E o Espírito é que dá testemunho,
    porque o Espírito é a Verdade.
    7Assim, são três que dão testemunho:
    8o Espírito, a água e o sangue;
    e os três são unânimes.
    9Se aceitamos o testemunho dos homens,
    o testemunho de Deus é maior.
    Este é o testemunho de Deus,
    pois ele deu testemunho a respeito de seu Filho.
    10Aquele que crê no Filho de Deus
    tem este testemunho dentro de si.
    Aquele que não crê em Deus
    faz dele um mentiroso,
    porque não crê no testemunho
    que Deus deu a respeito de seu Filho.
    11E o testemunho é este:
    Deus nos deu a vida eterna,
    e esta vida está em seu Filho.
    12Quem tem o Filho, tem a vida;
    quem não tem o Filho, não tem a vida.
    13Eu vos escrevo estas coisas
    a vós que acreditastes no nome do Filho de Deus,
    para que saibais que possuís a vida eterna.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 147, 12-13. 14-15. 19-20 (R. 12a)

    R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!

    12Glorifica o Senhor, Jerusalém!*
    O Sião, canta louvores ao teu Deus!
    13Pois reforçou com segurança as tuas portas,*
    e os teus filhos em teu seio abençoou.R.

    14apaz em teus limites garantiu*
    e te dá como alimento a flor do trigo.
    15Ele envia suas ordens para a terra,*
    e a palavra que ele diz corre veloz.R.

    19Anuncia a Jacó sua palavra,*
    seus preceitos suas leis a Israel.
    20Nenhum povo recebeu tanto carinho,*
    a nenhum outro revelou os seus preceitos.R.

    Evangelho – Lc 5,12-16

    12Aconteceu que Jesus estava numa cidade,
    e havia aí um homem leproso.
    Vendo Jesus, o homem caiu a seus pés, e pediu:
    ‘Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar.’
    13Jesus estendeu a móo, tocou nele,
    e disse: ‘Eu quero, fica purificado.’
    E, imediatamente, a lepra o deixou.
    14E Jesus recomendou-lhe:
    Nóo digas nada a ninguém.
    Vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela purificação
    o prescrito por Moisés como prova de tua cura.
    15Não obstante, sua fama ia crescendo,
    e numerosas multidões acorriam para ouví-lo e
    serem curadas de suas enfermidades.
    16Ele, porém, se retirava para lugares solitários
    e se entregaava à oração.
    Palavra da Salvação.
  • Sábado depois da Epifania do Natal

    1ª Leitura – 1Jo 5,14-21

    Caríssimos:
    14Esta é a confiança que temos em Deus:
    se lhe pedimos alguma coisa
    de acordo com a sua vontade, ele nos ouve.
    15E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que lhe pedimos,
    sabemos que possuímos o que havíamos pedido.
    16Se alguém vê seu irmão cometer um pecado
    que não conduz à morte,
    que ele reze, e Deus lhe dará a vida;
    isto, se, de fato, o pecado cometido não conduz à morte.
    Existe um pecado que conduz à morte,
    mas não é a respeito deste que eu digo que se deve rezar.
    17Toda iniqüidade é pecado,
    mas existe pecado que não conduz à morte.
    18Sabemos que todo aquele que nasceu de Deus não peca;
    aquele que é gerado por Deus o guarda,
    e o Maligno não o pode atingir.
    19Nós sabemos que somos de Deus
    ao passo que o mundo inteiro está sob o poder do Maligno.
    20Nós sabemos que veio o Filho de Deus
    e nos deu inteligência
    para conhecermos aquele que é o Verdadeiro.
    E nós estamos com o Verdadeiro,
    no seu Filho Jesus Cristo.
    Este é o Deus verdadeiro
    e a Vida eterna.
    21Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 149, 1-2. 3-4. 5.6a.9b (R.4a)

    R. O Senhor ama seu povo, de verdade.
    Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

    1Cantai ao Senhor Deus um canto novo, *
    e o seu louvor na assembléia dos fiéis!
    2Alegre-se Israel em Quem o fez, *
    e Sião se rejubile no seu Rei!R.

    3Com danças glorifiquem o seu nome, *
    toquem harpa e tambor em sua honra!
    4Porque, de fato, o Senhor ama seu povo *
    e coroa com vitória os seus humildes.R.

    5Exultem os fiéis por sua glória, *
    e cantando se levantem de seus leitos,
    6acom louvores do Senhor em sua boca *
    9bEis a glória para todos os seus santos.R.

    Evangelho – Jo 3,22-30

    Naquele tempo:

    22Jesus foi com seus discípulos para a região da Judéia.
    Permaneceu aí com eles e batizava.
    23Também João estava batizando,
    em Enon, perto de Salim,
    onde havia muita água.
    Aí chegavam as pessoas e eram batizadas.
    24João ainda não tinha sido posto no cárcere.
    25Alguns discípulos de João estavam discutindo com um judeu
    a respeito da purificação.
    26Foram a João e disseram:
    ‘Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão
    e do qual tu deste testemunho,
    agora está batizando
    e todos vão a ele.’
    27João respondeu:
    ‘Ninguém pode receber alguma coisa,
    se não lhe for dada do céu.
    28Vós mesmo sois testemunhas daquilo que eu disse:
    ‘Eu não sou o Messias,
    mas fui enviado na frente dele`.
    29É o noivo que recebe a noiva,
    mas o amigo, que está presente e o escuta,
    enche-se de alegria ao ouvir a voz do noivo.
    Esta é a minha alegria, e ela é completa.
    30É necessário que ele cresça
    e eu diminua.’
    Palavra da Salvação.

  • Batismo do Senhor

    1ª Leitura – Is 42,1-4.6-7

    Assim fala o Senhor:
    1‘Eis o meu servo – eu o recebo;
    eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma;
    pus meu espírito sobre ele,
    ele promoverá o julgamento das nações.
    2Ele não clama nem levanta a voz,
    nem se faz ouvir pelas ruas.
    3Não quebra uma cana rachada
    nem apaga um pavio que ainda fumega;
    mas promoverá o julgamento para obter a verdade.
    4Não esmorecerá nem se deixará abater,
    enquanto não estabelecer a justiça na terra;
    os países distantes esperam seus ensinamentos.’
    6‘Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te
    tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o
    centro de aliança do povo, luz das nações,
    7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da
    prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 28,1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R.11b)

    R. Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

    1aFilhos de Deus, tributai ao Senhor,*
    tributai-lhe a glória e o poder!
    2Dai-lhe a glória devida ao seu nome;*
    adorai-o com santo ornamento! R.

    3aEis a voz do Senhor sobre as águas,*
    3csua voz sobre as águas imensas!
    4Eis a voz do Senhor com poder!*
    Eis a voz do Senhor majestosa. R.

    3bSua voz no trovão reboando!*
    9bNo seu templo os fiéis bradam: ‘Glória!’
    10É o Senhor que domina os dilúvios,*
    o Senhor reinará para sempre! R.

    2ª Leitura – At 10,34-38

    Naqueles dias,
    34Pedro tomou a palavra e disse:
    ‘De fato, estou compreendendo
    que Deus não faz distinção entre as pessoas.
    35Pelo contrário, ele aceita quem o teme
    e pratica a justiça,
    qualquer que seja a nação a que pertença.
    36Deus enviou sua palavra aos israelitas
    e lhes anunciou a Boa-Nova da paz,
    por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos.
    37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judéia,
    a começar pela Galiléia, depois do batismo
    pregado por João:
    38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus
    com o Espírito Santo e com poder.
    Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando
    a todos os que estavam dominados pelo demônio;
    porque Deus estava com ele.


    Palavra do Senhor.

    Evangelho – Lc 3,15-16.21-22

    Naquele tempo:
    15O povo estava na expectativa
    e todos se perguntavam no seu íntimo
    se João não seria o Messias.
    16Por isso, João declarou a todos:
    ‘Eu vos batizo com água,
    mas virá aquele que é mais forte do que eu.
    Eu não sou digno de desamarrar
    a correia de suas sandálias.
    Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo.
    21Quando todo o povo estava sendo batizado,
    Jesus também recebeu o batismo.
    E, enquanto rezava, o céu se abriu
    22e o Espírito Santo desceu sobre Jesus
    em forma visível, como pomba.
    E do céu veio uma voz:
    ‘Tu és o meu Filho amado,
    em ti ponho o meu bem-querer.’

    Palavra da Salvação.
  • 2ª-feira da 1ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 1,1-8

    Havia um homem sufita, oriundo de Ramá, no monte Efraim,

    que se chamava Elcana,
    filho de Jeroam, filho de Eliú, filho de Tou,
    filho de Suf, efraimita.
    2Elcana tinha duas mulheres;
    uma chamava-se Ana
    e a outra Fenena.
    Fenena tinha filhos;
    Ana, porém, não tinha.
    3Todos os anos, esse homem subia da sua cidade para adorar
    e oferecer sacrifícios ao Senhor Todo-poderoso, em Silo.
    Os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias,
    eram sacerdotes do Senhor naquele santuário.
    4Quando oferecia sacrifício,
    Elcana dava à sua mulher Fenena
    e a todos os seus filhos e filhas
    as porções que lhes cabiam.
    5A Ana, embora a amasse,
    dava apenas uma porção escolhida,
    pois o Senhor a tinha deixado estéril.
    6Sua rival também a magoava e atormentava,
    humilhando-a pelo fato de o Senhor a ter tornado estéril.
    7E isso acontecia todos os anos.
    Sempre que subiam à casa do Senhor,
    ela a provocava do mesmo modo.
    E Ana chorava e não comia.
    8Então, Elcana, seu marido, lhe disse:
    ‘Ana, por que estás chorando e não te alimentas?
    E por que se aflige o teu coração?
    Acaso não sou eu melhor
    para ti do que dez filhos?’


    Palavra do Senhor.

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 115, 12-13. 14.17. 18-19 (R. 17a)

    R. Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.
    Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.

    12Que poderei retribuir ao Senhor Deus *
    por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
    13Elevo o cálice da minha salvação, *
    invocando o nome santo do Senhor.R.

    14Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
    na presença de seu povo reunido.
    17Por isso oferto um sacrifício de louvor, *
    invocando o nome santo do Senhor.R.

    18Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
    na presença de seu povo reunido;
    19nos átrios da casa do Senhor, *
    em teu meio, ó cidade de Sião!R.

    Evangelho – Mc 1,14-20

    14Depois que João Batista foi preso,

    Jesus foi para a Galiléia,
    pregando o Evangelho de Deus e dizendo:
    15‘O tempo já se completou
    e o Reino de Deus está próximo.
    Convertei-vos e crede no Evangelho!’
    16E, passando à beira do mar da Galiléia,
    Jesus viu Simão e André, seu irmão,
    que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores.
    17Jesus lhes disse:
    ‘Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens’.
    18E eles, deixando imediatamente as redes,
    seguiram a Jesus.
    19Caminhando mais um pouco,
    viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu.
    Estavam na barca, consertando as redes;
    20e logo os chamou.
    Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os
    empregados, e partiram, seguindo Jesus.


    Palavra da Salvação.
  • 3ª-feira da 1ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 1,9-20

    Naqueles dias:

    9Ana levantou-se,
    depois de ter comido e bebido em Silo.
    Ora, o sacerdote Eli estava sentado em sua cadeira
    à porta do templo do Senhor.
    10Ana, com o coração cheio de amargura,
    orou ao Senhor, derramando copiosas lágrimas.
    11E fez a seguinte promessa, dizendo:
    ‘Senhor Todo-poderoso,
    se olhares para a aflição de tua serva
    e te lembrares de mim,
    se não te esqueceres da tua escrava
    e lhe deres um filho homem,
    eu o oferecerei a ti
    por todos os dias de sua vida,
    e não passará navalha sobre a sua cabeça’.
    12Como ela se demorasse nas preces diante do Senhor,
    Eli observava o movimento de seus lábios.
    13Ana, porém, apenas murmurava;
    os seus lábios se moviam,
    mas não se podia ouvir palavra alguma.
    Eli julgou que ela estivesse embriagada,
    14por isso lhe disse:
    ‘Até quando estarás bêbada?
    Vai tirar essa bebedeira!’
    15Ana, porém, respondeu:
    ‘Não é isso, meu senhor!
    Sou apenas uma mulher muito infeliz;
    não bebi vinho, nem outra coisa que possa embebedar,
    mas desafoguei a minha alma na presença do Senhor.
    16Não julgues a tua serva como uma mulher perdida,
    pois foi pelo excesso da minha dor
    e da minha aflição que falei até agora’.
    17Eli então lhe disse:
    ‘Vai em paz,
    e que o Deus de Israel te conceda o que lhe pediste’.
    18Ela respondeu:
    ‘Que tua serva encontre graça diante dos teus olhos’.
    E a mulher foi embora, comeu
    e o seu semblante não era mais o mesmo.
    19Na manhã seguinte,
    ela e seu marido levantaram-se muito cedo
    e, depois de terem adorado o Senhor,
    voltaram para sua casa em Ramá.
    Elcana uniu-se a Ana, sua mulher,
    e o Senhor lembrou-se dela.
    20Ana concebeu e,
    no devido tempo, deu à luz um filho
    e chamou-o Samuel,
    porque – disse ela –
    ‘eu o pedi ao Senhor’.


    Palavra do Senhor.

    Salmo – 1Sm 2,1. 4-5. 6-7. 8abcd (R. Cf. 1a)

    R. Meu coração se alegrou em Deus, meu Salvador.

    1‘Meu coração exulta de júbilo no Senhor,
    e minha fronte se eleva por meu Deus.
    Minha boca desafia meus adversários,
    porque me alegro na vossa salvação.R.

    4O arco dos fortes quebrou-se,
    enquanto os fracos são revigorados.
    5Os saciados empregam-se pelo pão,
    enquanto aos famintos não falta alimento.
    A mulher estéril dá à luz sete vezes
    enquanto a mãe fecunda fenece.R.

    6O Senhor é quem dá a morte e a vida,
    faz descer à morada dos mortos e de lá voltar.
    7É o Senhor que torna pobre ou rico,
    é ele que humilha e exalta.R.

    8a Levanta do pó o necessitado
    8b e do lixo ergue o indigente,
    8c e o faz assentar entre os príncipes.
    8d destinando-lhe um trono de glória,.R.

    Evangelho – Mc 1,21b-28

    21bEstando com seus discípulos em Cafarnaum,

    Jesus, num dia de sábado,
    entrou na sinagoga e começou a ensinar.
    22Todos ficavam admirados com o seu ensinamento,
    pois ensinava como quem tem autoridade,
    não como os mestres da Lei.
    23Estava então na sinagoga
    um homem possuído por um espírito mau.
    Ele gritou:
    24‘Que queres de nós, Jesus Nazareno?
    Vieste para nos destruir?
    Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus.’
    25Jesus o intimou: ‘Cala-te e sai dele!’
    26Então o espírito mau sacudiu o homem com violência,
    deu um grande grito e saíu.
    27E todos ficaram muito espantados
    e perguntavam uns aos outros: ‘O que é isto?
    Um ensinamento novo dado com autoridade:
    Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!’
    28E a fama de Jesus logo se espalhou por toda a parte,
    em toda a região da Galiléia.


    Palavra da Salvação.
  • 4ª-feira da 1ª Semana Do Tempo Comum

    ª Leitura – 1Sm 3,1-10.19-20

    Naqueles dias:

    1O jovem Samuel servia ao Senhor na presença de Eli.
    Naquele tempo a palavra do Senhor era rara
    e as visões não eram freqüentes.
    2Aconteceu que, um dia, Eli estava dormindo no seu quarto.
    Seus olhos começavam a enfraquecer
    e já não conseguia enxergar.
    3A lâmpada de Deus ainda não se tinha apagado
    e Samuel estava dormindo no templo do Senhor,
    onde se encontrava a arca de Deus.
    4Então o Senhor chamou: ‘Samuel, Samuel!’
    Ele respondeu: ‘Estou aqui’.
    5E correu para junto de Eli e disse:
    ‘Tu me chamaste, aqui estou’.
    Eli respondeu: ‘Eu não te chamei.
    Volta a dormir!’
    E ele foi deitar-se.
    6O senhor chamou de novo: ‘Samuel, Samuel!’
    E Samuel levantou-se, foi ter com Eli e disse:
    ‘Tu me chamaste, aqui estou’.
    Ele respondeu: ‘Não te chamei, meu filho.
    Volta a dormir!’
    7Samuel ainda não conhecia o Senhor,
    pois, até então, a palavra do Senhor
    não se lhe tinha manifestado.
    8O Senhor chamou pela terceira vez: ‘Samuel, Samuel!’
    Ele levantou-se, foi para junto de Eli e disse:
    ‘Tu me chamaste, aqui estou’.
    Eli compreendeu que era o Senhor
    que estava chamando o menino.
    9Então disse a Samuel:
    ‘Volta a deitar-te e, se alguém te chamar, responderás:
    ‘Senhor, fala, que teu servo escuta!’
    E Samuel voltou ao seu lugar para dormir.
    10O Senhor veio, pôs-se junto dele
    e chamou-o como das outras vezes: ‘Samuel! Samuel!’
    E ele respondeu: ‘Fala, que teu servo escuta’.
    19Samuel crescia, e o Senhor estava com ele.
    E não deixava cair por terra nenhuma de suas palavras.
    20Todo Israel, desde Dã até Bersabéia,
    reconheceu que Samuel era um profeta do Senhor.


    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 39,2.5. 7-8a. 8b-9. 10 (R.8a. 9a)

    R. Eis que venho fazer, com prazer,
    a vossa vontade Senhor!

    2Esperando, esperei no Senhor,*
    e inclinando-se, ouviu meu clamor.
    5É feliz quem a Deus se confia; +
    quem não segue os que adoram os ídolos *
    e se perdem por falsos caminhos.R.

    7Sacrifício e oblação não quisestes,*
    mas abristes, Senhor, meus ouvidos;
    não pedistes ofertas nem vítimas,+
    holocaustos por nossos pecados,*
    8aE então eu vos disse: ‘Eis que venho!’R.

    8bSobre mim está escrito no livro:
    9‘Com prazer faço a vossa vontade,*
    guardo em meu coração vossa lei!’R.

    10Boas-novas de vossa justiça
    anunciei numa grande assembléia;*
    vós sabeis: não fechei os meus lábios!R.

    Evangelho – Mc 1,29-39

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 1,29-39

    Naquele tempo:
    29Jesus saiu da sinagoga
    e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André.
    30A sogra de Simão estava de cama, com febre,
    e eles logo contaram a Jesus.
    31E ele se aproximou, segurou sua mão
    e ajudou-a a levantar-se.
    Então, a febre desapareceu;
    e ela começou a servi-los.
    32É tarde, depois do pôr-do-sol,
    levaram a Jesus todos os doentes
    e os possuídos pelo demônio.
    33A cidade inteira se reuniu em frente da casa.
    34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças
    e expulsou muitos demônios.
    E não deixava que os demônios falassem,
    pois sabiam quem ele era.
    35De madrugada, quando ainda estava escuro,
    Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto.
    36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus.
    37Quando o encontraram, disseram:
    ‘Todos estão te procurando’.
    38Jesus respondeu:
    ‘Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza!
    Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim’.
    39E andava por toda a Galiléia,
    pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.


    Palavra da Salvação.
  • 5ª-feira da 1ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 4,1-11

    Naqueles dias os filisteus reuniram-se

    para fazer guerra a Israel.
    Israel saiu ao encontro dos filisteus,
    acampando perto de Eben-Ezer,
    enquanto os filisteus, de sua parte, avançaram até Afec
    2e puseram-se em linha de combate diante de Israel.
    Travada a batalha,
    Israel foi derrotado pelos filisteus.
    E morreram naquele combate, em campo aberto,
    cerca de quatro mil homens.
    3O povo voltou ao acampamento
    e os anciãos de Israel disseram:
    ‘Por que fez o Senhor
    que hoje fôssemos vencidos pelos filisteus?
    Vamos a Silo buscar a arca da aliança do Senhor,
    para que ela esteja no meio de nós
    e nos salve das mãos dos nossos inimigos’.
    4Então o povo mandou trazer de Silo
    a arca da aliança do Senhor Todo-poderoso,
    que se senta sobre querubins.
    Os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, acompanhavam a arca.
    5Quando a arca da aliança do Senhor
    chegou ao acampamento,
    todo Israel rompeu num grande clamor,
    que ressoou por toda a terra.
    6Os filisteus, ouvindo isso, diziam:
    ‘Que gritaria é essa tão grande no campo dos hebreus?’
    E souberam que a arca do Senhor
    tinha chegado ao acampamento.
    7Os filisteus tiveram medo e disseram:
    ‘Deus chegou ao acampamento!’
    E lamentavam-se:
    8‘Ai de nós! porque os hebreus não estavam com essa alegria
    nem ontem nem ante-ontem.
    Ai de nós! Quem nos salvará
    da mão desses deuses tão poderosos?
    Foram eles que afligiram o Egito
    com toda espécie de pragas no deserto.
    9Mas coragem, filisteus, portai-vos como homens,
    para que não vos torneis escravos dos hebreus
    como eles o foram de vós!
    Sede homens e combatei!’
    10Então os filisteus lançaram-se à luta,
    Israel foi derrotado
    e cada um fugiu para a sua tenda.
    O massacre foi grande:
    do lado de Israel tombaram trinta mil homens.
    11A arca de Deus foi capturada
    e morreram os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias.


    Palavra do Senhor

     

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 43, 10-11.14-15.24-25 (R. 26d)

    R. Libertai-nos, Senhor, pela vossa compaixão!

    10Porém, agora nos deixastes e humilhastes, *
    já não saís com nossas tropas para a guerra!
    11Vós nos fizestes recuar ante o inimigo, *
    os adversários nos pilharam à vontade.R.

    14De nós fizestes o escárnio dos vizinhos, *
    zombaria e gozação dos que nos cercam;
    15para os pagãos somos motivo de anedotas, *
    zombam de nós a sacudir sua cabeça.R.

    24Levantai-vos, ó Senhor, por que dormis? *
    Despertai! Não nos deixeis eternamente!
    25Por que nos escondeis a vossa face *
    e esqueceis nossa opressão, nossa miséria?R.

    Evangelho – Mc 1,40-45

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 1,40-45

    Naquele tempo:
    40Um leproso chegou perto de Jesus,
    e de joelhos pediu:
    ‘Se queres tens o poder de curar-me’.
    41Jesus, cheio de compaixão,
    estendeu a mão, tocou nele, e disse:
    ‘Eu quero: fica curado!’
    42No mesmo instante a lepra desapareceu
    e ele ficou curado.
    43Então Jesus o mandou logo embora,
    44falando com firmeza:
    ‘Não contes nada disso a ninguém!
    Vai, mostra-te ao sacerdote
    e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou,
    como prova para eles!’
    45Ele foi e começou a contar
    e a divulgar muito o fato.
    Por isso Jesus não podia mais
    entrar publicamente numa cidade:
    ficava fora, em lugares desertos.
    E de toda parte vinham procurá-lo.


    Palavra da Salvação.
  • 6ª-feira da 1ª Semana Do Tempo Comum

    ª Leitura – 1Sm 8,4-7.10-22a

    Naqueles dias:
    4Todos os anciãos de Israel se reuniram,
    foram procurar Samuel em Ramá,
    5e disseram-lhe:
    ‘Olha, tu estás velho,
    e teus filhos não seguem os teus caminhos.
    Por isso, estabelece sobre nós um rei,
    para que exerça a justiça entre nós,
    como se faz em todos os povos’.
    6Samuel não gostou, quando lhe disseram:
    ‘Dá-nos um rei, para que nos julgue’.
    E invocou o Senhor.
    7O Senhor disse a Samuel:
    ‘Atende a tudo o que o povo te diz.
    Porque não é a ti que eles rejeitam, mas a mim,
    para que eu não reine mais sobre eles.
    10Samuel transmitiu todas as palavras do Senhor ao povo,
    que lhe pedira um rei,
    11e disse:
    ‘Estes serão os direitos do rei que reinará sobre vós:
    Tomará vossos filhos e os encarregará
    dos seus carros de guerra e dos seus cavalos
    e os fará correr à frente do seu carro.
    12Fará deles chefes de mil, e de cinqüenta homens,
    e os empregará em suas lavouras e em suas colheitas,
    na fabricação de suas armas e de seus carros.
    13Fará de vossas filhas suas perfumistas,
    cozinheiras e padeiras.
    14Tirará os vossos melhores campos, vinhas e olivais
    e os dará aos seus funcionários.
    15Das vossas colheitas e das vossas vinhas
    ele cobrará o dízimo,
    e o destinará aos seus eunucos e aos seus criados.
    16Tomará também vossos servos e servas,
    vossos melhores bois e jumentos,
    e os fará trabalhar para ele.
    17Exigirá o dízimo de vossos rebanhos,
    e vós sereis seus escravos.
    18Naquele dia, clamareis ao Senhor
    por causa do rei que vós mesmos escolhestes,
    mas o Senhor não vos ouvirá’.
    19Porém, o povo não quis dar ouvidos
    às razões de Samuel, e disse:
    ‘Não importa! Queremos um rei,
    20pois queremos ser como todas as outras nações.
    O nosso rei administrará a justiça,
    marchará à nossa frente
    e combaterá por nós em todas as guerras’.
    21Samuel ouviu todas as palavras do povo
    e repetiu-as aos ouvidos do Senhor.
    22aMas o Senhor disse-lhe:
    ‘Faze-lhes a vontade, e dá-lhes um rei’.

    Palavra do Senhor.

    almo – Sl 88, 16-17. 18-19 (R. Cf. 2a)

    R. Ó Senhor eu cantarei eternamente o vosso amor.

    16Quão feliz é aquele povo que conhece a alegria;*
    seguirá pelo caminho, sempre à luz de vossa face!
    17Exultará de alegria em vosso nome dia a dia,*
    e com grande entusiasmo exaltará vossa justiça.R.

    18Pois sois vós, ó Senhor Deus, a sua força e sua glória,*
    é por vossa proteção que exaltais nossa cabeça.
    19Do Senhor é o nosso escudo, ele é nossa proteção,*
    ele reina sobre nós, é o Santo de Israel!R.

    Evangelho – Mc 2,1-12

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 2,1-12

    1Alguns dias depois,
    Jesus entrou de novo em Cafarnaum.
    Logo se espalhou a notícia de que ele estava em casa.
    2E reuniram-se ali tantas pessoas,
    que já não havia lugar, nem mesmo diante da porta.
    E Jesus anunciava-lhes a Palavra.
    3Trouxeram-lhe, então, um paralítico,
    carregado por quatro homens.
    4Mas não conseguindo chegar até Jesus,
    por causa da multidão,
    abriram então o teto,
    bem em cima do lugar onde ele se encontrava.
    Por essa abertura desceram a cama
    em que o paralítico estava deitado.
    5Quando viu a fé daqueles homens,
    Jesus disse ao paralítico:
    ‘Filho, os teus pecados estão perdoados’.
    6Ora, alguns mestres da Lei, que estavam ali sentados,
    refletiam em seus corações:
    7‘Como este homem pode falar assim?
    Ele está blasfemando:
    ninguém pode perdoar pecados, a não ser Deus’.
    8Jesus percebeu logo
    o que eles estavam pensando no seu íntimo,
    e disse: ‘Por que pensais assim em vossos corações?
    9O que é mais fácil:
    dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados estão perdoados’,
    ou dizer: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda’?
    10Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem
    tem, na terra, poder de perdoar pecados,
    – disse ele ao paralítico: –
    11eu te ordeno:
    levanta-te, pega tua cama, e vai para tua casa!’
    12O paralítico então se levantou
    e, carregando a sua cama, saiu diante de todos.
    E ficaram todos admirados e louvavam a Deus, dizendo:
    ‘Nunca vimos uma coisa assim’.
    Palavra da Salvação.

  • Sábado da 1ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 9, 1-4.17-19; 10,1a

    1Havia um homem de Benjamin, chamado Cis,
    filho de Abiel, filho de Seror,
    filho de Becorat, filho de Afia,
    um benjaminita, homem forte e valente.
    2Ele tinha um filho chamado Saul,
    de boa apresentação.
    Entre os filhos de Israel
    não havia outro melhor do que ele:
    dos ombros para cima sobressaía a todo o povo.
    3Ora, aconteceu
    que se perderam umas jumentas de Cis, pai de Saul.
    E Cis disse a seu filho Saul:
    ‘Toma contigo um dos criados,
    põe-te a caminho
    e vai procurar as jumentas’.
    Eles atravessaram a montanha de Efraim
    4e a região de Salisa,
    mas não as encontraram.
    Passaram também pela região de Salim, sem encontrar nada;
    e, ainda pela terra de Benjamin, sem resultado algum.
    17Quando Samuel avistou Saul,
    o Senhor lhe disse:
    ‘Este é o homem de quem te falei.
    Ele reinará sobre o meu povo’.
    18Saul aproximou-se de Samuel, na soleira da porta,
    e disse-lhe:
    ‘Peço-te que me informes onde é a casa do vidente’.
    19Samuel respondeu a Saul:
    ‘Sou eu mesmo o vidente.
    Sobe na minha frente ao santuário da colina.
    Hoje comereis comigo,
    e amanhã de manhã te deixarei partir,
    depois de te ter revelado tudo o que tens no coração’.
    10,1aNa manhã seguinte,
    Samuel tomou um pequeno frasco de azeite,
    derramou-o sobre a cabeça de Saul
    e beijou-o, dizendo:
    ‘Com isto o Senhor te ungiu como chefe do seu povo, Israel.
    Tu governarás o povo do Senhor
    e o livrarás das mãos de seus inimigos,
    que estão ao seu redor’.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 20,2-3. 4-5. 6-7 (R. 2a)

    R. Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra.

    2Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; *
    quanto exulta de alegria em vosso auxílio!
    3O que sonhou seu coração, lhe concedestes; *
    não recusastes os pedidos de seus lábios.R.

    4Com bênção generosa o preparastes; *
    de ouro puro coroastes sua fronte.
    5A vida ele pediu e vós lhe destes, *
    longos dias, vida longa pelos séculos.R.

    6É grande a sua glória em vosso auxílio; *
    de esplendor e majestade o revestistes.
    7Transformastes o seu nome numa bênção, *
    e o cobristes de alegria em vossa face.R.

    Evangelho – Mc 2,13-17

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 2,13-17

    Naquele tempo:
    13Jesus saiu de novo para a beira do mar.
    Toda a multidão ia ao seu encontro
    e Jesus os ensinava.
    14Enquanto passava,
    Jesus viu Levi, o filho de Alfeu,
    sentado na coletoria de impostos,
    e disse-lhe: ‘Segue-me!’
    Levi se levantou e o seguiu.
    15E aconteceu que, estando à mesa na casa de Levi,
    muitos cobradores de impostos e pecadores
    também estavam à mesa com Jesus e seus discípulos.
    Com efeito, eram muitos os que o seguiam.
    16Alguns doutores da Lei, que eram fariseus,
    viram que Jesus estava comendo
    com pecadores e cobradores de impostos.
    Então eles perguntaram aos discípulos:
    ‘Por que ele come
    com os cobradores de impostos e pecadores?’
    17Tendo ouvido, Jesus respondeu-lhes:
    ‘Não são as pessoas sadias que precisam de médico,
    mas as doentes.
    Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores.’
    Palavra da Salvação.

  • 2º Domingo Do Tempo Comum

    1ª Leitura – Is 62,1-5

    Leitura do Livro do Profeta Isaías 62,1-5

    1Por amor de Sião não me calarei,
    por amor de Jerusalém não descansarei,
    enquanto não surgir nela, como um luzeiro, a justiça
    e não se acender nela, como uma tocha, a salvação.
    2As nações verão a tua justiça,
    todos os reis verão a tua glória;
    serás chamada com um nome novo,
    que a boca do Senhor há de designar.
    3E serás uma coroa de glória na mão do Senhor,
    um diadema real nas mãos de teu Deus.
    4Não mais te chamarão Abandonada,
    e tua terra não mais será chamada Deserta;
    teu nome será Minha Predileta
    e tua terra será a Bem-Casada,
    pois o Senhor agradou-se de ti
    e tua terra será desposada.
    5Assim como o jovem desposa a donzela,
    assim teus filhos te desposam;
    e como a noiva é a alegria do noivo,
    assim também tu és a alegria de teu Deus.


    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 95,1-2a.2b-3.7-8a.9-10a.c (R. 1a.3b)

    R.Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
    manifestai os seus prodígios entre os povos!

    1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
    cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira!*
    2aCantai e bendizei seu santo nome! R.

    2bDia após dia anunciai sua salvação,
    3manifestai a sua glória entre as nações,*
    e entre os povos do universo seus prodígios! R.

    7A família das nações, dai ao Senhor,*
    ó nações, dai ao Senhor poder e glória,*
    8dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
    Oferecei um sacrifício nos seus átrios. R.

    9Adorai-o no esplendor da santidade, *
    terra inteira, estremecei diante dele!
    10Publicai entre as nações: ‘Reina o Senhor!’*
    pois os povos ele julga com justiça. R.

    2ª Leitura – 1Cor 12,4-11

    Leitura da Primeira carta de São Paulo aos Coríntios 12,4-11

    Irmãos:
    4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito.
    5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor.
    6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus
    que realiza todas as coisas em todos.
    7A cada um é dada a manifestação do Espírito
    em vista do bem comum.
    8A um é dada pelo Espírito a palavra da sabedoria.
    A outro, a palavra da ciência segundo o mesmo Espírito.
    9A outro, a fé no mesmo Espírito.
    A outro, o dom de curas no mesmo Espírito.
    10A outro, o poder de fazer milagres.
    A outro, profecia. A outro, discernimento de espíritos.
    A outro, falar línguas estranhas.
    A outro, interpretação de línguas.
    11Todas estas coisas as realiza um e o mesmo Espírito,
    que distribui a cada um conforme quer.


    Palavra do Senhor.

    Evangelho – Jo 2,1-11

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 2,1-11

    Naquele tempo:
    1Houve um casamento em Caná da Galiléia.
    A mãe de Jesus estava presente.
    2Também Jesus e seus discípulos
    tinham sido convidados para o casamento.
    3Como o vinho veio a faltar,
    a mãe de Jesus lhe disse:
    ‘Eles não têm mais vinho’.
    4Jesus respondeu-lhe:
    ‘Mulher, por que dizes isto a mim?
    Minha hora ainda não chegou.’
    5Sua mãe disse aos que estavam servindo:
    ‘Fazei o que ele vos disser’.
    6Estavam seis talhas de pedra colocadas aí
    para a purificação que os judeus costumam fazer.
    Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros.
    7Jesus disse aos que estavam servindo:
    ‘Enchei as talhas de água’.
    Encheram-nas até a boca.
    8Jesus disse:
    ‘Agora tirai e levai ao mestre-sala’.
    E eles levaram.
    9O mestre-sala experimentou a água,
    que se tinha transformado em vinho.
    Ele não sabia de onde vinha,
    mas os que estavam servindo sabiam,
    pois eram eles que tinham tirado a água.
    10O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse:
    ‘Todo mundo serve primeiro o vinho melhor
    e, quando os convidados já estão embriagados,
    serve o vinho menos bom.
    Mas tu guardaste o vinho melhor até agora!’
    11Este foi o início dos sinais de Jesus.
    Ele o realizou em Caná da Galiléia
    e manifestou a sua glória,
    e seus discípulos creram nele.


    Palavra da Salvação.

  • 2ª-feira da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 15,16-23

    Naqueles dias:

    16Samuel disse a Saul:
    ‘Basta!
    Deixa-me dizer-te o que o Senhor me revelou esta noite’.
    Saul disse:
    ‘Fala!’
    17Então Samuel começou:
    ‘Por menor que sejas aos teus próprios olhos,
    acaso não és o chefe das tribos de Israel?
    O Senhor ungiu-te rei sobre Israel
    18e te enviou em expedição,
    com a ordem de eliminar os amalecitas, esses malfeitores,
    combatendo-os até que fossem exterminados.
    19Por que não ouviste a voz do Senhor,
    e te precipitaste sobre os despojos
    e fizeste o que desagrada ao Senhor?’
    20Saul respondeu a Samuel:
    ‘Mas eu obedeci ao Senhor!
    Realizei a expedição a que ele me enviou.
    Trouxe Agag, rei de Amalec, para cá,
    e exterminei os amalecitas.
    21Quanto aos despojos,
    o povo reteve, das ovelhas e dos bois,
    o melhor do que devia ser eliminado,
    para sacrificar ao Senhor teu Deus em Guilgal’.
    22Mas Samuel replicou:
    ‘O Senhor quer holocaustos e sacrifícios,
    ou quer a obediência à sua palavra?
    A obediência vale mais que o sacrifício,
    a docilidade mais que oferecer gordura de carneiros.
    23A rebelião é um verdadeiro pecado de magia,
    um crime de idolatria, uma obstinação.
    Assim, porque rejeitaste a palavra do Senhor,
    ele te rejeitou: tu não és mais rei’.


    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 49, 8-9.16bc-17.21.23 (R. 23b)

    R. A todo homem que procede retamente,
    eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

    8Eu não venho censurar teus sacrifícios, *
    pois sempre estão perante mim teus holocaustos;
    9não preciso dos novilhos de tua casa *
    nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos.R.

    16b‘Como ousas repetir os meus preceitos *
    16ce trazer minha Aliança em tua boca?
    17Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos *
    e deste as costas às palavras dos meus lábios!R.

    21Diante disso que fizeste, eu calarei? *
    Acaso pensas que eu sou igual a ti?
    É disso que te acuso e repreendo *
    e manifesto essas coisas aos teus olhos.R.

    Evangelho – Mc 2,18-22

    Naquele tempo:
    18Os discípulos de João Batista e os fariseus
    estavam jejuando.
    Então, vieram dizer a Jesus:
    ‘Por que os discípulos de João
    e os discípulos dos fariseus jejuam,
    e os teus discípulos não jejuam?’
    19Jesus respondeu:
    ‘Os convidados de um casamento
    poderiam, por acaso, fazer jejum,
    enquanto o noivo está com eles?
    Enquanto o noivo está com eles,
    os convidados não podem jejuar.
    20Mas vai chegar o tempo
    em que o noivo será tirado do meio deles;
    aí, então, eles vão jejuar.
    21Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha;
    porque o remendo novo repuxa o pano velho
    e o rasgão fica maior ainda.
    22Ninguém pðe vinho novo em odres velhos;
    porque o vinho novo arrebenta os odres velhos
    e o vinho e os odres se perdem.
    Por isso, vinho novo em odres novos’.

    Palavra da Salvação.
  • 3ª-feira da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 16,1-13

    Naqueles dias:

    1O Senhor disse a Samuel:
    ‘Até quando ficarás chorando por causa de Saul,
    se eu mesmo o rejeitei
    para que não reine mais sobre Israel?
    Enche o chifre de óleo e vem,
    para que eu te envie à casa de Jessé de Belém,
    pois escolhi um rei para mim entre os seus filhos’.
    2Samuel ponderou:
    ‘Como posso ir?
    Se Saul o souber, vai-me matar’.
    O Senhor respondeu:
    ‘Tomarás contigo uma novilha da manada, e dirás:
    ‘Vim para oferecer um sacrifício ao Senhor’.
    3Convidarás Jessé para o sacrifício.
    Eu te mostrarei o que deves fazer,
    e tu ungirás a quem eu te designar’.
    4Samuel fez o que o Senhor lhe disse,
    e foi a Belém.
    Os anciãos da cidade vieram-lhe ao encontro,
    e perguntaram:
    ‘É de paz a tua vinda?’
    5‘Sim, é de paz’, respondeu Samuel.
    ‘Vim para fazer um sacrifício ao Senhor.
    Purificai-vos e vinde comigo,
    para que eu ofereça a vítima’.
    Ele purificou então Jessé e seu filhos
    e convidou-os para o sacrifício.
    6Assim que chegaram, Samuel viu a Eliab,
    e disse consigo:
    ‘Certamente é este o ungido do Senhor!’
    7Mas o Senhor disse-lhe:
    ‘Não olhes para a sua aparência
    nem para a sua grande estatura,
    porque eu o rejeitei.
    Não julgo segundo os critérios do homem:
    o homem vê as aparências,
    mas o senhor olha o coração’.
    8Então Jessé chamou Abinadab
    e apresentou-o a Samuel, que disse:
    ‘Também não é este que o Senhor escolheu’.
    9Jessé trouxe-lhe depois Sama, e Samuel disse:
    ‘A este tampouco o Senhor escolheu’.
    10Jessé fez vir seus sete filhos à presença de Samuel,
    mas Samuel disse:
    ‘O Senhor não escolheu a nenhum deles’.
    11E acrescentou:
    ‘Estão aqui todos os teus filhos?’
    Jessé respondeu: ‘Resta ainda o mais novo,
    que está apascentando as ovelhas’.
    E Samuel ordenou a Jessé: ‘Manda buscá-lo,
    pois não nos sentaremos à mesa,
    enquanto ele não chegar’.
    12Jessé mandou buscá-lo.
    Era ruivo, de belos olhos e de formosa aparência.
    E o Senhor disse:
    ‘Levanta-te, unge-o: é este!’
    13Samuel tomou o chifre com óleo
    e ungiu Davi na presença de seus irmãos.
    E a partir daquele dia,
    o espírito do Senhor se apoderou de Davi.
    A seguir, Samuel se pôs a caminho
    e voltou para Ramá.


    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 88, 20. 21-22. 27-28 (R. 21a)

    R. Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor.

    20Outrora vós falastes em visões a vossos santos: +
    ‘Coloquei uma coroa na cabeça de um herói *
    e do meio deste povo escolhi o meu Eleito.R.

    21Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, *
    e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado.
    22Estará sempre com ele minha mão onipotente, *
    e meu braço poderoso há de ser a sua força.R.

    27Ele, então, me invocará: ‘Ó Senhor, vós sois meu Pai, *
    sois meu Deus, sois meu Rochedo onde encontro a salvação!`
    28E por isso farei dele o meu filho primogênito, *
    sobre os reis de toda a terra farei dele o Rei altíssimo.R.

    Evangelho – Mc 2,23-28

    23Jesus estava passando por uns campos de trigo,
    em dia de sábado.
    Seus discípulos começaram a arrancar espigas,
    enquanto caminhavam.
    24Então os fariseus disseram a Jesus:
    ‘Olha! Por que eles fazem em dia de sábado
    o que não é permitido?’
    25Jesus lhes disse:
    ‘Por acaso, nunca lestes
    o que Davi e seus companheiros fizeram
    quando passaram necessidade e tiveram fome?
    26Como ele entrou na casa de Deus,
    no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote,
    comeu os pães oferecidos a Deus,
    e os deu também aos seus companheiros?
    No entanto, só aos sacerdotes é permitido
    comer esses pães.’
    27E acrescentou:
    ‘O sábado foi feito para o homem,
    e não o homem para o sábado.
    28Portanto, o Filho do Homem
    é senhor também do sábado.’
    Palavra da Salvação.
  • 4ª-feira da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 17,32-33.37.40-5l

    Naqueles dias:
    32Davi foi conduzido a Saul e lhe disse:
    ‘Ninguém desanime por causa desse filisteu!
    Eu, teu servo, lutarei contra ele’.
    33Mas Saul ponderou:
    ‘Não poderás enfrentar esse filisteu,
    pois tu és só ainda um jovem,
    e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade’.
    37Davi respondeu:
    ‘O Senhor me livrou
    das garras do leão e das garras do urso.
    Ele me salvará também das mãos deste filisteu’.
    Então Saul disse a Davi:
    ‘Vai, e que o Senhor esteja contigo’.
    40Em seguida, tomou o seu cajado,
    escolheu no regato cinco pedras bem lisas
    e colocou-as no seu alforje de pastor,
    que lhe servia de bolsa para guardar pedras.
    Depois, com a sua funda na mão,
    avançou contra o filisteu.
    41Este, que se vinha aproximando mais e mais,
    precedido do seu escudeiro,
    42quando pôde ver bem Davi
    desprezou-o, porque era muito jovem,
    ruivo e de bela aparência.
    43E lhe disse:
    ‘Sou por acaso um cão,
    para vires a mim com um cajado?’
    E o filisteu amaldiçoou Davi
    em nome de seus deuses.
    44E acrescentou:
    ‘Vem, e eu darei a tua carne às aves do céu
    e aos animais da terra!’
    45Davi respondeu:
    ‘Tu vens a mim com espada, lança e escudo;
    eu, porém, vou a ti em nome do Senhor Todo-poderoso,
    o Deus dos exércitos de Israel que tu insultaste!
    46Hoje mesmo, o Senhor te entregará em minhas mãos,
    e te abaterei e te cortarei a cabeça,
    e darei o teu cadáver
    e os cadáveres do exército dos filisteus
    às aves do céu e aos animais da terra,
    para que toda a terra saiba que há um Deus em Israel.
    47E toda esta multidão de homens conhecerá
    que não é pela espada nem pela lança
    que o Senhor concede a vitória;
    porque o Senhor é o árbitro da guerra,
    e ele vos entregará em nossas mãos’.
    48Logo que o filisteu avançou
    e marchou em direção a Davi,
    este saiu das linhas de formação
    e correu ao encontro do filisteu.
    49Davi meteu, então, a mão no alforje,
    apanhou uma pedra e arremessou-a com a funda,
    atingindo o filisteu na fronte com tanta força,
    que a pedra se encravou na sua testa
    e o gigante tombou com o rosto em terra.
    50E assim Davi venceu o filisteu,
    ferindo-o de morte com uma funda e uma pedra.
    E, como não tinha espada na mão,
    51correu para o filisteu,
    chegou junto dele,
    arrancou-lhe a espada da bainha
    e acabou de matá-lo,
    cortando-lhe a cabeça.
    Vendo morto o seu guerreiro mais valente,
    os filisteus fugiram.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 143 (144), 1. 2. 9-10 (R. 1a)

    R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

    1Bendito seja o Senhor, meu rochedo, +
    que adestrou minhas mãos para a luta, *
    e os meus dedos treinou para a guerra!R.

    2Ele é meu amor, meu refúgio, *
    libertador, fortaleza e abrigo;
    É meu escudo: é nele que espero, *
    ele submete as nações a meus pés.R.

    9Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *
    nas dez cordas da harpa louvar-vos,
    10a vós que dais a vitória aos reis *
    e salvais vosso servo Davi.R.

    Evangelho – Mc 3,1-6

    Naquele tempo:
    1Jesus entrou de novo na sinagoga.
    Havia ali um homem com a mão seca.
    2Alguns o observavam
    para ver se haveria de curar em dia de sábado,
    para poderem acusá-lo.
    3Jesus disse ao homem da mão seca:
    ‘Levanta-te e fica aqui no meio!’
    4E perguntou-lhes:
    ‘É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?
    Salvar uma vida ou deixá-la morrer?’
    Mas eles nada disseram.
    5Jesus, então, olhou ao seu redor,
    cheio de ira e tristeza,
    porque eram duros de coração;
    e disse ao homem:
    ‘Estende a mão.’
    Ele a estendeu e a mão ficou curada.
    6Ao sairem, os fariseus com os partidários de Herodes,
    imediatamente tramaram, contra Jesus,
    a maneira como haveriam de matá-lo.

    Palavra da Salvação.
  • 5ª-feira da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 18,6-9; 19,1-7

    Naqueles dias:
    6Quando Davi voltou, depois de ter matado o filisteu,
    as mulheres de todas as cidades de Israel
    saíram ao encontro do rei Saul,
    dançando e cantando alegremente
    ao som de tamborins e címbalos.
    7E, enquanto dançavam, diziam em coro:
    ‘Saul matou mil, mas Davi matou dez mil’.
    8Saul ficou muito encolerizado com isto
    e não gostou nada da canção, dizendo:
    ‘A Davi deram dez mil, e a mim somente mil.
    Que lhe falta ainda, senão a realeza?’
    9E, a partir daquele dia,
    não olhou mais para Davi com bons olhos.
    19,1Saul falou a Jônatas, seu filho,
    e a todos os seus servos
    sobre sua intenção de matar Davi.
    Mas Jônatas, filho de Saul,
    amava profundamente Davi,
    2e preveniu-o a respeito disso, dizendo:
    ‘Saul, meu pai, procura matar-te;
    portanto, toma cuidado amanhã de manhã,
    e fica oculto em um esconderijo.
    3Eu mesmo sairei em companhia de meu pai,
    no campo, onde estiveres,
    e lhe falarei de ti, para ver o que ele diz,
    e depois te avisarei de tudo o que eu souber’.
    4Então Jônatas falou bem de Davi a Saul, seu pai,
    e acrescentou:
    ‘Não faças mal algum ao teu servo Davi,
    porque ele nunca te ofendeu.
    Ao contrário, o que ele tem feito
    foi muito proveitoso para ti.
    5Arriscou a sua vida, matando o filisteu,
    e o Senhor deu uma grande vitória a todo o Israel.
    Tu mesmo foste testemunha e te alegraste.
    Por que, então, pecarias,
    derramando sangue inocente
    e mandando matar Davi sem motivo?’
    6Saul, ouvindo isto,
    e aplacado com as razões de Jônatas, jurou:
    ‘Pela vida do Senhor, ele não será morto!’
    7Então Jônatas chamou Davi
    e contou-lhe tudo isto.
    Levou-o em seguida a Saul,
    para que ele retomasse o seu lugar, como antes.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 55, 2-3. 9-10ab. 10c-11. 12-13 (R. 5bc)

    R. É no Senhor que eu confio e nada temo.

    2Tende pena e compaixão de mim, ó Deus, +
    pois há tantos que me calcam sob os pés, *
    e agressores me oprimem todo dia!
    3Meus inimigos de contínuo me espezinham, *
    são numerosos os que lutam contra mim!R.

    9Do meu exílio registrastes cada passo, +
    em vosso odre recolhestes cada lágrima, *
    e anotastes tudo isso em vosso livro.
    10aMeus inimigos haverão de recuar +
    10bem qualquer dia em que eu vos invocar;R.

    10ctenho certeza: o Senhor está comigo!
    11Confio em Deus e louvarei sua promessa.R.

    12É no Senhor que eu confio e nada temo: *
    que poderia contra mim um ser mortal?
    13Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz, *
    e vos oferto um sacrifício de louvor,R.

    Evangelho – Mc 3,7-12

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3,7-12

    Naquele tempo:
    7Jesus se retirou para a beira do mar,
    junto com seus discípulos.
    Muita gente da Galiléia o seguia.
    8E também muita gente da Judéia,
    de Jerusalém, da Iduméia, do outro lado do Jordão,
    dos territórios de Tiro e Sidônia,
    foi até Jesus, porque tinham ouvido falar
    de tudo o que ele fazia.
    9Então Jesus pediu aos discípulos
    que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão,
    para que não o comprimisse.
    10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas,
    e todos os que sofriam de algum mal
    jogavam-se sobre ele para tocá-lo.
    11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés,
    gritando: ‘Tu és o Filho de Deus!’
    12Mas Jesus ordenava severamente
    para não dizerem quem ele era.
    Palavra da Salvação.

  • 6ª-feira da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 1Sm 24,3-21

    Naqueles dias:

    3Saul tomou consigo três mil homens
    escolhidos em todo o Israel
    e saiu em busca de Davi e de seus homens,
    até aos rochedos das cabras monteses.
    4E chegou aos currais de ovelhas
    que encontrou no caminho.
    Havia ali uma gruta,
    onde Saul entrou para satisfazer suas necessidades.
    Davi e seus homens achavam-se no fundo da gruta,
    5 e os homens de Davi disseram-lhe:
    ‘Este certamente é o dia do qual o Senhor te falou:
    ‘Eu te entregarei o teu inimigo,
    para que faças dele o que quiseres’.
    Então Davi aproximou-se de mansinho
    e cortou a ponta do manto de Saul.
    6Mas logo o seu coração se encheu de remorsos
    por ter feito aquilo,
    7e disse aos seus homens:
    ‘Que o Senhor me livre de fazer uma coisa dessas
    ao ungido do Senhor,
    levantando a minha mão contra ele, o ungido do Senhor’.
    8Com essas palavras, Davi conteve os seus homens,
    e não permitiu que se lançassem sobre Saul.
    Este deixou a gruta e seguiu seu caminho.
    9Davi levantou-se a seguir, saiu da gruta
    e gritou atrás dele:
    ‘Senhor, meu rei!’
    Saul voltou-se e Davi inclinou-se até o chão e prostrou-se.
    10E disse a Saul:
    ‘Por que dás ouvidos às palavras dos que te dizem
    que Davi procura fazer-te mal?
    11Viste hoje com teus próprios olhos
    que o Senhor te entregou em minhas mãos, na gruta.
    Renunciando a matar-te!
    poupei-te a vida, porque pensei:
    Não levantarei a mão contra o meu senhor,
    pois ele é o ungido do Senhor,
    12e meu pai.
    Presta atenção, e vê em minha mão a ponta do teu manto.
    Se eu cortei este pedaço do teu manto e não te matei,
    reconhece que não há maldade nem crime em mim,
    que não pequei contra ti.
    Tu, porém, andas procurando tirar-me a vida.
    13Que o Senhor seja nosso juiz
    e que ele me vingue de ti.
    Mas eu nunca levantarei a minha mão contra ti.
    14‘Dos ímpios sairá a impiedade’, diz o antigo provérbio;
    por isso, a minha mão não te tocará.
    15A quem persegues tu, ó rei de Israel?
    A quem persegues? Um cão morto! E uma pulga!
    16Pois bem! O senhor seja juiz e julgue entre mim e ti.
    Que ele examine e defenda a minha causa,
    e me livre das tuas mãos’.
    17Quando Davi terminou de falar, Saul lhe disse:
    ‘É esta a tua voz, ó meu filho Davi?
    E começou a clamar e a chorar
    18Depois disse a Davi:
    ‘Tu és mais justo do que eu,
    porque me tens feito bem e eu só te tenho feito mal.
    19Hoje me revelaste a tua bondade para comigo,
    pois o Senhor me entregou em tuas mãos
    e não me mataste.
    20Qual é o homem que, encontrando o seu inimigo,
    o deixa ir embora tranqüilamente?
    Que o Senhor te recompense pelo bem que hoje me fizeste.
    21Agora, eu sei com certeza que tu serás rei,
    e que terás em tua mão o reino de Israel’.


    Palavra do Senhor.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 56, 2.3.-4.6.11 (R. 2a)

    R. Piedade, Senhor, tende piedade.

    2Piedade, Senhor, piedade, *
    pois em vós se abriga a minh’alma!
    De vossas asas, à sombra, me achego, *
    até que passe a tormenta, Senhor!R.

    3Lanço um grito ao Senhor Deus Altíssimo, *
    a este Deus que me dá todo o bem.
    4Que me envie do céu sua ajuda +
    e confunda os meus opressores! *
    Deus me envie sua graça e verdade!R.

    6Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus, *
    vossa glória refulja na terra!
    11Vosso amor é mais alto que os céus, *
    mais que as nuvens a vossa verdade!R.

    Evangelho – Mc 3,13-19

    Naquele tempo:
    13Jesus subiu ao monte e chamou os que ele quis.
    E foram até ele.
    14Então Jesus designou Doze, para que ficassem com ele
    e para enviá-los a pregar,
    15com autoridade para expulsar os demônios.
    16Designou, pois, os Doze:
    Simão, a quem deu o nome de Pedro;
    17Tiago e João, filhos de Zebedeu,
    aos quais deu o nome de Boanerges,
    que quer dizer ‘filhos do trovão’;
    18André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé,
    Tiago, filho de Alfeu, Tadeu,
    Simão, o cananeu,
    19e Judas Iscariotes, aquele que depois o traiu.

    Palavra da Salvação.
  • Sábado da 2ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 1,1-4.11-12.19.23-27

    Naqueles dias:
    1Davi regressou da derrota que infligiu aos amalecitas,
    e esteve dois dias em Siceleg.
    2No terceiro dia, apareceu um homem,
    que vinha do acampamento de Saul,
    com as vestes rasgadas e a cabeça coberta de pó.
    Ao chegar perto de Davi, prostrou-se por terra
    e fez-lhe uma profunda reverência.
    3Davi perguntou-lhe:
    ‘Donde vens?’
    Ele respondeu:
    ‘Salvei-me do acampamento de Israel’.
    4‘Que aconteceu?’, perguntou-lhe Davi.
    ‘Conta-me tudo!’
    Ele respondeu:
    ‘As tropas fugiram da batalha,
    e muitos do povo caíram mortos.
    Até Saul e o seu filho Jônatas pereceram!’
    11Então Davi tomou suas próprias vestes e rasgou-as,
    e todos os que estavam com ele fizeram o mesmo.
    12Lamentaram-se, choraram e jejuaram até à tarde,
    por Saul e por seu filho Jônatas,
    e por causa do povo do Senhor e da casa de Israel,
    porque haviam tombado pela espada.
    19‘Tua glória, ó Israel,
    jaz ferida de morte sobre os teus montes.
    Como tombaram os fortes!
    23Saul e Jônatas, amados e belos,
    nem vida nem morte os puderam separar,
    mais velozes que as águias, mais fortes que os leões.
    24Filhas de Israel, chorai sobre Saul.
    Ele vos vestia de púrpura suntuosa
    e ornava de ouro os vossos vestidos.
    25Como tombaram os fortes em plena batalha!
    Jônatas foi morto sobre as tuas alturas.
    26Choro por ti, meu irmão Jônatas.
    Tu me eras tão querido;
    tua amizade me era mais cara
    que o amor das mulheres.
    27Como tombaram os fortes,
    como pereceram as armas de guerra!’

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 79, 2-3. 5-7 (R. 4b)

    R. Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!.

    2Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. *
    Vós, que a José apascentais qual um rebanho!
    Vós, que sobre os querubins vos assentais, +
    aparecei cheio de glória e esplendor *
    3ante Efraim e Benjamim e Manassés!
    Despertai vosso poder, ó nosso Deus, *
    e vinde logo nos trazer a salvação!R.

    5Até quando, ó Senhor, vos irritais, *
    apesar da oração do vosso povo?
    6Vós nos destes a comer o pão das lágrimas, *
    e a beber destes um pranto copioso.
    7Para os vizinhos somos causa de contenda, *
    de zombaria para os nossos inimigos.R.

    Evangelho – Mc 3,20-21

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3,20-21
    Naquele tempo:
    20Jesus voltou para casa com os discípulos.
    E de novo se reuniu tanta gente
    que eles nem sequer podiam comer.
    21Quando souberam disso,
    os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo,
    porque diziam que estava fora de si.

    Palavra da Salvação.
  • 3º Domingo Do Tempo Comum

    1ª Leitura – Ne 8,2-4a.5-6.8-10

    Naqueles dias:
    2O sacerdote Esdras apresentou a Lei
    diante da assembléia de homens, de mulheres
    e de todos os que eram capazes de compreender.
    Era o primeiro dia do sétimo mês.
    3Assim, na praça que fica defronte da porta das Âguas,
    Esdras fez a leitura do livro,
    desde o amanhecer até ao meio-dia,
    na presença dos homens, das mulheres
    e de todos os que eram capazes de compreender.
    E todo o povo escutava com atenção
    a leitura do livro da Lei.
    4aEsdras, o escriba,
    estava de pé sobre um estrado de madeira,
    erguido para esse fim.
    5Estando num lugar mais alto,
    ele abriu o livro à vista de todo o povo.
    E, quando o abriu, todo o povo ficou de pé.
    6Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus,
    e todo o povo respondeu, levantando as mãos:
    ‘Amém! Amém!’
    Depois inclinaram-se
    e prostraram-se diante do Senhor, com o rosto em terra.
    8E leram clara e distintamente o livro da Lei de Deus
    e explicaram seu sentido,
    de maneira que se pudesse compreender a leitura.
    9O governador Neemias e Esdras, sacerdote e escriba,
    e os levitas que instruíam o povo,
    disseram a todos:
    ‘Este é um dia consagrado ao senhor, vosso Deus!
    Não fiqueis tristes nem choreis’,
    pois todo o povo chorava ao ouvir as palavras da Lei.
    10E Neemias disse-lhes:
    ‘Ide para vossas casas e comei carnes gordas,
    tomai bebidas doces
    e reparti com aqueles que nada prepararam,
    pois este dia é santo para o nosso Senhor.
    Não fiqueis tristes,
    porque a alegria do Senhor será a vossa força’.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 18,8.9.10.15 (R. Jo 6,63c)

    R.Vossa Lei é perfeita, ó Senhor,
    vossas palavras são espírito e vida!

    8A lei do Senhor Deus é perfeita,*
    conforto para a alma!
    O testemunho do Senhor é fiel,*
    sabedoria dos humildes. R.
    9Os preceitos do Senhor são precisos,*
    alegria ao coração.
    O mandamento do Senhor é brilhante,*
    para os olhos é uma luz. R.

    10É puro o temor do Senhor,*
    imutável para sempre.
    Os julgamentos do Senhor são corretos*
    e justos igualmente. R.

    15Que vos agrade o cantar dos meus lábios*
    e a voz da minha alma;
    que ela chegue até vós, ó Senhor,*
    meu Rochedo e Redentor! R.

    2ª Leitura – 1Cor 12,12-30

    Irmãos:
    12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros,
    e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos,
    formam um só corpo,
    assim também acontece com Cristo.
    13De fato, todos nós,
    judeus ou gregos, escravos ou livres,
    fomos batizados num único Espírito,
    para formarmos um único corpo,
    e todos nós bebemos de um único Espírito.
    14Com efeito, o corpo não é feito de um membro apenas,
    mas de muitos membros.
    15Se o pé disser:
    ‘Eu não sou mão, portanto não pertenço ao corpo’,
    nem por isso deixa de pertencer ao corpo.
    16E se o ouvido disser:
    ‘Eu não sou olho, portanto não pertenço ao corpo’,
    nem por isso deixa de pertencer ao corpo.
    17Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido?
    Se o corpo todo fosse ouvido, onde estaria o olfato?
    18De fato, Deus dispôs os membros
    e cada um deles no corpo, como quis.
    19Se houvesse apenas um membro, onde estaria o corpo?
    20Há muitos membros, e, no entanto, um só corpo.
    21O olho não pode, pois, dizer à mão:
    ‘Não preciso de ti’.
    Nem a cabeça pode dizer aos pés:
    ‘Não preciso de vós’.
    22Antes pelo contrário,
    os membros do corpo que parecem ser mais fracos
    são muito mais necessários do que se pensa.
    23Também os membros que consideramos menos honrosos,
    a estes nós cercamos com mais honra,
    e os que temos por menos decentes,
    nós os tratamos com mais decência.
    24Os que nós consideramos decentes
    não precisam de cuidado especial.
    Mas Deus, quando formou o corpo,
    deu maior atenção e cuidado
    ao que nele é tido como menos honroso,
    25para que não haja divisão no corpo
    e, assim, os membros zelem igualmente uns pelos outros.
    26Se um membro sofre, todos os membros sofrem com ele;
    se é honrado, todos os membros se regozijam com ele.
    27Vós, todos juntos, sois o corpo de Cristo
    e, individualmente, sois membros desse corpo.
    28E, na Igreja, Deus colocou,
    em primeiro lugar, os apóstolos;
    em segundo lugar, os profetas;
    em terceiro lugar, os que têm o dom
    e a missão de ensinar;
    depois, outras pessoas com dons diversos, a saber:
    dom de milagres, dom de curas,
    dom para obras de misericórdia,
    dom de governo e direção, dom de línguas.
    29Acaso todos são apóstolos?
    Todos são profetas?
    Todos ensinam?
    Todos realizam milagres?
    30Todos têm o dom das curas?
    Todos falam em línguas?
    Todos as interpretam?
    Palavra do Senhor.

    Evangelho – Lc 1,1-4;4,14-21

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1,1-4;4,14-21

    1Muitas pessoas já tentaram escrever a história
    dos acontecimentos que se realizaram entre nós,
    2como nos foram transmitidos
    por aqueles que, desde o princípio,
    foram testemunhas oculares e ministros da palavra.
    3Assim sendo, após fazer um estudo cuidadoso
    de tudo o que aconteceu desde o princípio,
    também eu decidi escrever de modo ordenado
    para ti, excelentíssimo Teófilo.
    4Deste modo, poderás verificar
    a solidez dos ensinamentos que recebeste.
    Naquele tempo:
    4,14Jesus voltou para a Galiléia, com a força do Espírito,
    e sua fama espalhou-se por toda a redondeza.
    15Ele ensinava nas suas sinagogas e todos o elogiavam.
    16E veio à cidade de Nazaré, onde se tinha criado.
    Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado,
    e levantou-se para fazer a leitura.
    17Deram-lhe o livro do profeta Isaías.
    Abrindo o livro,
    Jesus achou a passagem em que está escrito:
    18‘O Espírito do Senhor está sobre mim,
    porque ele me consagrou com a unção
    para anunciar a Boa Nova aos pobres;
    enviou-me para proclamar a libertação aos cativos
    e aos cegos a recuperação da vista;
    para libertar os oprimidos
    19e para proclamar um ano da graça do Senhor.’
    20Depois fechou o livro,
    entregou-o ao ajudante, e sentou-se.
    Todos os que estavam na sinagoga
    tinham os olhos fixos nele.
    21Então começou a dizer-lhes:
    ‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura
    que acabastes de ouvir.’
    Palavra da Salvação.

  • 2ª-feira da 3ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 5,1-7.10

    Naqueles dias:

    1Todas as tribos de Israel vieram
    encontrar-se com Davi em Hebron e disseram-lhe:
    ‘Aqui estamos. Somos teus ossos e tua carne.
    2Tempo atrás, quando Saul era nosso rei,
    eras tu que dirigias os negócios de Israel.
    E o Senhor te disse:
    Tu apascentarás o meu povo Israel
    e serás o seu chefe’.
    3Vieram, pois, todos os anciãos de Israel
    até ao rei em Hebron.
    O rei Davi fez com eles uma aliança em Hebron,
    na presença do Senhor,
    e eles o ungiram rei de Israel.
    4Davi tinha trinta anos quando começou a reinar,
    e reinou quarenta anos:
    5sete anos e seis meses sobre Judá, em Hebron,
    e trinta e três anos em Jerusalém, sobre todo o Israel e Judá.
    6Davi marchou então com seus homens para Jerusalém,
    contra os jebuseus que habitavam aquela terra.
    Estes disseram a Davi:
    ‘Não entrarás aqui, pois serás repelido por cegos e coxos’.
    Com isso queriam dizer que Davi não conseguiria entrar lá.
    7Davi, porém, tomou a fortaleza de Sião,
    que é a cidade de Davi.
    10Davi ia crescendo em poder,
    e o Senhor, Deus Todo-poderoso, estava com ele.


    Palavra do Senhor.

     

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 88, 20. 21-22. 25-26 (R. 25a)

    R. Minha verdade e meu amor estarão sempre com ele.

    20Outrora vós falastes em visões a vossos santos: +
    ‘Coloquei uma coroa na cabeça de um herói *
    e do meio deste povo escolhi o meu Eleito.R.

    21Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, *
    e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado.
    22Estará sempre com ele minha mão onipotente, *
    e meu braço poderoso há de ser a sua força.R.

    25Minha verdade e meu amor estarão sempre com ele, *
    sua força e seu poder por meu nome crescerão.
    26Eu farei que ele estenda sua mão por sobre os mares, *
    e a sua mão direita estenderei por sobre os rios.R.

     

     

     

     

     

     

     

     

    Evangelho – Mc 3,22-30

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3,22-30

    Naquele tempo:
    22Os mestres da Lei, que tinham vindo de Jerusalém,
    diziam que ele estava possuído por Beelzebu,
    e que pelo príncipe dos demônios
    ele expulsava os demônios.
    23Então Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas:
    ‘Como é que Satanás pode expulsar a Satanás?
    24Se um reino se divide contra si mesmo,
    ele não poderá manter-se.
    25Se uma família se divide contra si mesma,
    ela não poderá manter-se.
    26Assim, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide,
    não poderá sobreviver, mas será destruído.
    27Ninguém pode entrar na casa de um homem forte
    para roubar seus bens,
    sem antes o amarrar.
    Só depois poderá saquear sua casa.
    28Em verdade vos digo:
    tudo será perdoado aos homens,
    tanto os pecados, como qualquer blasfêmia que tiverem dito.
    29Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo,
    nunca será perdoado,
    mas será culpado de um pecado eterno.’
    30Jesus falou isso, porque diziam:
    ‘Ele está possuído por um espírito mau.’


    Palavra da Salvação.

  • Conversão de São Paulo, Apóstolo . Festa

     Leitura – At 22,3-16

    Naqueles dias, Paulo disse ao povo:
    3“Eu sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia,
    mas fui criado aqui nesta cidade.
    Como discípulo de Gamaliel,
    fui instruído em todo o rigor da Lei
    de nossos antepassados,
    tornando-me zeloso da causa de Deus,
    como acontece hoje convosco.
    4Persegui até à morte os que seguiam este Caminho,
    prendendo homens e mulheres
    e jogando-os na prisão.
    5Disso são minhas testemunhas o Sumo Sacerdote
    e todo o conselho dos anciãos.
    Eles deram-me cartas de recomendação
    para os irmãos de Damasco.
    Fui para lá,
    a fim de prender todos os que encontrasse
    e trazê-los para Jerusalém,
    a fim de serem castigados.
    6Ora, aconteceu que, na viagem,
    estando já perto de Damasco, pelo meio dia,
    de repente uma grande luz que vinha do céu
    brilhou ao redor de mim.
    Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia:
    `Saulo, Saulo, por que me persegues?’
    8Eu perguntei:
    `Quem és tu, Senhor?’
    7Ele me respondeu:
    `Eu sou Jesus, o Nazareno,
    a quem tu estás perseguindo’.
    9Meus companheiros viram a luz,
    mas não ouviram a voz que me falava.
    10Então perguntei:
    `Que devo fazer, Senhor?’
    O Senhor me respondeu:
    `Levanta-te e vai para Damasco.
    Ali te explicarão tudo o que deves fazer’.
    11Como eu não podia enxergar,
    por causa do brilho daquela luz,
    cheguei a Damasco
    guiado pela mão dos meus companheiros.
    12Um certo Ananias, homem piedoso e fiel à Lei,
    com boa reputação
    junto de todos os judeus que aí moravam,
    13veio encontrar-me e disse:
    `Saulo, meu irmão, recupera a vista!’
    No mesmo instante, recuperei a vista e pude vê-lo.
    14Ele, então, me disse:
    `O Deus de nossos antepassados
    escolheu-te para conheceres a sua vontade,
    veres o Justo e ouvires a sua própria voz.
    15Porque tu serás a sua testemunha
    diante de todos os homens, daquilo que viste e ouviste.
    16E agora, o que estás esperando?
    Levanta-te, recebe o batismo
    e purifica-te dos teus pecados, invocando o nome dele!'”

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 116(117),1-2 (R. Mc 16,15)

    R. Ide, por todo o mundo, a todos pregai o Evangelho.

    1Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, *
    povos todos, festejai-o!R.

    2Pois comprovado é seu amor para conosco, *
    para sempre ele é fiel!R.

    Evangelho – Mc 16,15-18

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 16,15-18

    Naquele tempo,
    Jesus se manifestou aos onze discípulos,
    15e disse-lhes:
    “Ide pelo mundo inteiro
    e anunciai o Evangelho a toda criatura!
    16Quem crer e for batizado será salvo.
    Quem não crer será condenado.
    17Os sinais que acompanharão
    aqueles que crerem serão estes:
    expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas;
    18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal
    não lhes fará mal algum;
    quando impuserem as mãos sobre os doentes,
    eles ficarão curados”.


    Palavra da Salvação.
  • São Timóteo e São Tito, bispos . Memória

    1ª Leitura – 2Tm 1,1-8

    1Paulo, Apóstolo de Jesus Cristo
    pelo desígnio de Deus

    referente à promessa de vida que temos em Cristo Jesus,
    2a Timóteo, meu querido filho:
    Graça, misericórdia e paz
    da parte de Deus Pai
    e de Cristo Jesus, nosso Senhor!
    3Dou graças a Deus,
    – a quem sirvo com a consciência pura,
    como aprendi dos meus antepassados -,
    quando me lembro de ti, dia e noite,
    nas minhas oraçðes.
    4Lembrando-me das tuas lágrimas,
    sinto grande desejo de rever-te,
    e assim ficar cheio de alegria.
    5Recordo-me da fé sincera que tens,
    aquela mesma fé
    que antes tiveram tua avó Loide e tua mãe Eunice.
    Sem dúvida, assim é também a tua.
    6Por este motivo,
    exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus
    que recebeste pela imposição das minhas mãos.
    7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez
    mas de fortaleza, de amor e sobriedade.
    8Não te envergonhes do testemunho de Nosso Senhor
    nem de mim, seu prisioneiro,
    mas sofre comigo pelo Evangelho,
    fortificado pelo poder de Deus.


    Palavra da Salvação.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Salmo – Sl 95(96),1-2a.2b-3.7-8a.10 (R. 3)

    R. Anunciai entre as naçðes os grandes feitos do Senhor!

    1Cantai ao Senhor Deus um canto novo, +
    cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! *
    2aCantai e bendizei seu santo nome!R.

    2bDia após dia anunciai sua salvaçóo, +
    3manifestai a sua glória entre as naçðes, *
    e entre os povos do universo seus prodígios!R.

    7Â família das naçðes, dai ao Senhor, +
    ó naçðes, dai ao Senhor poder e glória, *
    8adai-lhe a glória que é devida ao seu nome!R.

    10Publicai entre as naçðes: “Reina o Senhor! +
    Ele firmou o universo inabalável, *
    e os povos ele julga com justiça.R.

    Evangelho – Lc 10,1-9

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 10,1-9

    Naquele tempo:
    1O Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos
    e os enviou dois a dois, na sua frente,
    a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir.
    2E dizia-lhes:
    “A messe é grande,
    mas os trabalhadores são poucos.
    Por isso, pedi ao dono da messe
    que mande trabalhadores para a colheita.
    3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos.
    4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias,
    e não cumprimenteis ninguém pelo caminho!
    5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro:
    `A paz esteja nesta casa!’
    6Se ali morar um amigo da paz,
    a vossa paz repousará sobre ele;
    se não, ela voltará para vós.
    7Permanecei naquela mesma casa,
    comei e bebei do que tiverem,
    porque o trabalhador merece o seu salário.
    Não passeis de casa em casa.
    8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos,
    comei do que vos servirem,
    9curai os doentes que nela houver
    e dizei ao povo:
    `O Reino de Deus está próximo de vós'”.

    Palavra da Salvação.
  • 5ª-feira da 3ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 7,18-19.24-29

    Depois que Natan falara a Davi,
    o rei entrou no tabernáculo
    18foi assentar-se diante do Senhor, e disse:
    ‘Quem sou eu, Senhor Deus,
    e o que é a minha família,
    para que me tenhas conduzido até aqui?
    19Mas, como isto te parecia pouco, Senhor Deus,
    ainda fizeste promessas à casa do teu servo
    para um futuro distante.
    Porque esta é a lei do homem, Senhor Deus!
    24Estabeleceste o teu povo, Israel,
    para que ele seja para sempre o teu povo;
    e tu, Senhor, te tornaste o seu Deus.
    25Agora, Senhor Deus,
    cumpre para sempre a promessa
    que fizeste ao teu servo e à sua casa,
    e faze como disseste!
    26Então o teu nome será exaltado para sempre,
    e dirão:
    ‘O Senhor Todo-poderoso é o Deus de Israel’.
    E a casa do teu servo Davi
    permanecerá estável na tua presença.
    27Pois tu, Senhor Todo-poderoso, Deus de Israel,
    fizeste esta revelação ao teu servo:
    ‘Eu te construirei uma casa.
    Por isso o teu servo se animou
    a dirigir-te esta oração.
    28Agora, Senhor Deus, tu és Deus
    e tuas palavras são verdadeiras.
    Pois que fizeste esta bela promessa ao teu servo,
    29abençoa, então, a casa do teu servo,
    para que ela permaneça para sempre na tua presença.
    Porque és tu, Senhor Deus, que falaste,
    e é graças à tua bênção
    que a casa do teu servo será abençoada para sempre’.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 13l, 1-2. 3-5.11. 12. 13-14 (R. Lc 1,32b)

    R. O Senhor vai dar-lhe o trono
    de seu pai, o rei Davi.

    1Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi *
    e de quanto vos foi ele dedicado;
    2do juramento que ao Senhor havia feito *
    e de seu voto ao Poderoso de Jacó:R.

    3‘Não entrarei na minha tenda, minha casa, *
    nem subirei à minha cama em que repouso,
    4não deixarei adormecerem os meus olhos, *
    nem cochilarem em descanso minhas pálpebras,
    5até que eu ache um lugar para o Senhor, *
    uma casa para o Forte de Jacó!’R.

    11O Senhor fez a Davi um juramento, *
    uma promessa que jamais renegará:
    ‘Um herdeiro que é fruto do teu ventre *
    colocarei sobre o trono em teu lugar!R.

    12Se teus filhos conservarem minha Aliança *
    e os preceitos que lhes dei a conhecer,
    os filhos deles igualmente hão de sentar-se *
    eternamente sobre o trono que te dei!’R.

    13Pois o Senhor quis para si Jerusalém *
    e a desejou para que fosse sua morada:
    14‘Eis o lugar do meu repouso para sempre, *
    eu fico aqui: este é o lugar que preferi!’R.

    Evangelho – Mc 4,21-25

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4,21-25

    Naquele tempo, Jesus disse à multidão:
    1‘Quem é que traz uma lâmpada
    para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama?
    Ao contrário, não a coloca num candeeiro?
    22Assim, tudo o que está escondido
    deverá tornar-se manifesto,
    e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto.
    23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.’
    24Jesus dizia ainda:
    ‘Prestai atenção no que ouvis:
    com a mesma medida com que medirdes,
    também vós sereis medidos;
    e vos será dado ainda mais.
    25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais;
    do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem.’


    Palavra da Salvação.

  • 6ª-feira da 3ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 11,1-4a.5-10a.13-17

    1No ano seguinte,
    na época em que os reis costumavam partir para a guerra,
    Davi enviou Joab com os seus oficiais e todo o Israel,
    e eles devastaram o país dos amonitas e sitiaram Rabá.
    Mas Davi ficou em Jerusalém.
    2Ora, um dia, ao entardecer,
    levantando-se Davi de sua cama,
    pôs-se a passear pelo terraço de sua casa
    e avistou dali uma mulher que se banhava.
    Era uma mulher muito bonita.
    3Davi procurou saber quem era essa mulher
    e disseram-lhe que era Betsabéia,
    filha de Eliam, mulher do hitita Urias.
    4aEntão Davi enviou mensageiros para que a trouxessem.
    Ela veio e ele deitou-se com ela.
    5Em seguida, Betsabéia voltou para casa.
    Como ela concebesse, mandou dizer a Davi:
    ‘Estou grávida’.
    6Davi mandou esta ordem a Joab:
    ‘Manda-me Urias, o hitita’.
    E ele mandou Urias a Davi.
    7Quando Urias chegou,
    Davi pediu-lhes notícias de Joab,
    do exército e da guerra.
    8E depois disse-lhe:
    ‘Desce à tua casa e lava os pés’.
    Urias saiu do palácio do rei
    e, em seguida, este enviou-lhe um presente real.
    9Mas Urias dormiu à porta do palácio
    com os outros servos do seu amo,
    e não foi para casa.
    10aE contaram a Davi, dizendo-lhe:
    ‘Urias não foi para sua casa’.
    13Davi convidou-o para comer e beber à sua mesa
    e o embriagou.
    Mas, ao entardecer, ele retirou-se
    e foi-se deitar no seu leito,
    em companhia dos servos do seu senhor,
    e não desceu para a sua casa.
    14Na manhã seguinte, Davi escreveu uma carta a Joab
    e mandou-a pelas mãos de Urias.
    15Dizia nela: ‘Colocai Urias na frente,
    onde o combate for mais violento,
    e abandonai-o para que seja ferido e morra’.
    16Joab, que sitiava a cidade,
    colocou Urias no lugar
    onde ele sabia estarem os guerreiros mais valentes.
    17Os que defendiam a cidade,
    saíram para atacar Joab,
    e morreram alguns do exército, da guarda de Davi.
    E morreu também Urias, o hitita.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 50, 3-4. 5-6a. 6bc-7. 10-11 (R. Cf. 3a)

    R. Misericórdia, ó Senhor, porque pecamos!

    3Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
    Na imensidão de vosso amor, purificai-me!
    4Lavai-me todo inteiro do pecado, *
    e apagai completamente a minha culpa!R.

    5Eu reconheço toda a minha iniqüidade, *
    o meu pecado está sempre à minha frente.
    6aFoi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *
    e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!R.

    6bMostrais assim quanto sois justo na sentença, *
    6ce quanto é reto o julgamento que fazeis.
    7Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade *
    e pecador minha mãe me concebeu.R.

    10Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *
    e exultarão estes meus ossos que esmagastes.
    11Desviai o vosso olhar dos meus pecados *
    e apagai todas as minhas transgressões!R.

    Evangelho – Mc 4,26-34

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 4,26-34

    Naquele tempo:
    26Jesus disse à multidão:
    ‘O Reino de Deus
    é como quando alguém espalha a semente na terra.
    27Ele vai dormir e acorda, noite e dia,
    e a semente vai germinando e crescendo,
    mas ele não sabe como isso acontece.
    28A terra, por si mesma, produz o fruto:
    primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga
    e, por fim, os grãos que enchem a espiga.
    29Quando as espigas estão maduras,
    o homem mete logo a foice,
    porque o tempo da colheita chegou’.
    30E Jesus continuou:
    ‘Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus?
    Que parábola usaremos para representá-lo?
    31O Reino de Deus é como um grão de mostarda
    que, ao ser semeado na terra,
    é a menor de todas as sementes da terra.
    32Quando é semeado, cresce
    e se torna maior do que todas as hortaliças,
    e estende ramos tão grandes,
    que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra’.
    33Jesus anunciava a Palavra
    usando muitas parábolas como estas,
    conforme eles podiam compreender.
    34E só lhes falava por meio de parábolas,
    mas, quando estava sozinho com os discípulos,
    explicava tudo.


    Palavra da Salvação.
  • Sábado da 3ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 12,1-7a.10-17

    Naqueles dias:
    1O Senhor mandou o profeta Natã a Davi.
    Ele foi ter com o rei e lhe disse-lhe:
    ‘Numa cidade havia dois homens,
    um rico e outro pobre.
    2O rico possuía ovelhas e bois em grande número.
    3O pobre só possuía uma ovelha pequenina,
    que tinha comprado e criado.
    Ela crescera em sua casa junto com seus filhos,
    comendo do seu pão, bebendo do mesmo copo,
    dormindo no seu regaço.
    Era para ele como uma filha.
    4Veio um hóspede à casa do homem rico,
    e este não quis tomar uma das suas ovelhas
    ou um dos seus bois para preparar um banquete
    e dar de comer ao hóspede que chegara.
    Mas foi, apoderou – se da ovelhinha do pobre
    e preparou-a para o visitante’.
    5Davi ficou indignado contra esse homem
    e disse a Natã:
    ‘Pela vida do Senhor,
    o homem que fez isso merece a morte!
    6Pagará quatro vezes o valor da ovelha,
    por ter feito o que fez
    e não ter tido compaixão’.
    7aNatã disse a Davi:
    ‘Esse homem és tu!
    Assim diz o Senhor, o Deus de Israel:
    10Por isso, a espada jamais se afastará de tua casa,
    porque me desprezaste e tomaste a mulher do hitita Urias
    para fazer dela a tua esposa.
    11Assim diz o Senhor:
    Da tua própria casa farei surgir o mal contra ti
    e tomarei as tuas mulheres, sob os teus olhos,
    e as darei a um outro,
    e ele se aproximará das tuas mulheres à luz deste sol.
    12Tu fizeste tudo às escondidas.
    Eu, porém, farei o que digo
    diante de todo o Israel e à luz do sol’.
    13Davi disse a Natã; ‘Pequei contra o Senhor’.
    Natã respondeu-lhe:
    ‘De sua parte, o Senhor perdoou o teu pecado.
    de modo que não morrerás!
    14Entretanto, por teres ultrajado o Senhor
    com teu procedimento
    o filho que te nasceu morrerá’.
    15E Natã voltou para a sua casa.
    O Senhor feriu o filho
    que a mulher de Urias tinha dado a Davi
    e ele adoeceu gravemente.
    16Davi implorou a Deus pelo menino
    e fez um grande jejum.
    E, voltando para casa,
    passou a noite deitado no chão.
    17Os anciãos do palácio insistiam com ele
    para que se levantasse do chão;
    mas ele não o quis fazer
    nem tomar com eles alimento algum.

    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 50, 12-13. 14-15. 16-17 (R. 12a)

    R. Criai em mim um coração que seja puro!

    12Criai em mim um coração que seja puro, *
    dai-me de novo um espírito decidido.
    13ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *
    nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!R.

    14Dai-me de novo a alegria de ser salvo *
    e confirmai-me com espírito generoso!
    15Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *
    e para vós se voltarão os transviados.R.

    16Da morte como pena, libertai-me, *
    e minha língua exaltará vossa justiça!
    17Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, *
    e minha boca anunciará vosso louvor!R

    Evangelho – Mc 4,35-41

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 4,35-41

    35Naquele dia, ao cair da tarde,
    Jesus disse a seus discípulos:
    ‘Vamos para a outra margem!’
    36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo,
    assim como estava na barca.
    Havia ainda outras barcas com ele.
    37Começou a soprar uma ventania muito forte
    e as ondas se lançavam dentro da barca,
    de modo que a barca já começava a se encher.
    38Jesus estava na parte de trás,
    dormindo sobre um travesseiro.
    Os discípulos o acordaram e disseram:
    ‘Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?’
    39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar:
    ‘Silêncio! Cala-te!’
    O ventou cessou e houve uma grande calmaria.
    40Então Jesus perguntou aos discípulos:
    ‘Por que sois tão medrosos?
    Ainda não tendes fé?’
    41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros:
    ‘Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?’


    Palavra da Salvação.
  • 4º Domingo Do Tempo Comum

    1ª Leitura – Jr 1,4-5.17-19

    Nos dias de Josias, rei de Judá,
    4Foi-me dirigida a palavra do Senhor, dizendo:
    5‘Antes de formar-te no ventre materno, eu te conheci;
    antes de saíres do seio de tua mãe,
    eu te consagrei e te fiz profeta das nações’.
    17Vamos, põe a roupa e o cinto,
    levanta-te e comunica-lhes
    tudo que eu te mandar dizer:
    não tenhas medo,
    senão, eu te farei tremer na presença deles.
    18Com efeito, eu te transformarei hoje
    numa cidade fortificada,
    numa coluna de ferro,
    num muro de bronze
    contra todo o mundo,
    frente aos reis de Judá e seus príncipes,
    aos sacerdotes e ao povo da terra;
    19eles farão guerra contra ti, mas não prevalecerão,
    porque eu estou contigo
    para defender-te’,
    diz o Senhor.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 70,1-2.3-4a.5-6ab.15ab.17 (R.15ab)

    R.Minha boca anunciará todos os dias,
    vossas graças incontáveis, ó Senhor.

    1Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor:*
    que eu não seja envergonhado para sempre!
    2Porque sois justo, defendei-me e libertai-me!*
    Escutai a minha voz, vinde salvar-me! R.

    3Sede uma rocha protetora para mim,*
    um abrigo bem seguro que me salve!
    Porque sois a minha força e meu amparo,
    o meu refúgio, proteção e segurança!
    4aLibertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio. R.

    5Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança,*
    em vós confio desde a minha juventude!
    6aSois meu apoio desde antes que eu nascesse,
    6bdesde o seio maternal, o meu amparo. R.

    15aMinha boca anunciará todos os dias*
    15bvossa justiça e vossas graças incontáveis.
    17Vós me ensinastes desde a minha juventude,*
    e até hoje canto as vossas maravilhas. R.

    2ª Leitura – 1Cor 12,31-13,13

    Irmãos:
    31Aspirai aos dons mais elevados.
    Eu vou ainda mostrar-vos um caminho
    incomparavelmente superior.
    13,1Se eu falasse todas as línguas,
    as dos homens e as dos anjos,
    mas não tivesse caridade,
    eu seria como um bronze que soa
    ou um címbalo que retine.
    2Se eu tivesse o dom da profecia,
    se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência,
    se tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas,
    mas se não tivesse caridade,
    eu não seria nada.
    3Se eu gastasse todos os meus bens
    para sustento dos pobres,
    se entregasse o meu corpo às chamas,
    mas não tivesse caridade,
    isso de nada me serviria.
    4A caridade é paciente, é benigna;
    não é invejosa, não é vaidosa, não se ensoberbece;
    5não faz nada de inconveniente, não é interesseira,
    não se encoleriza, não guarda rancor;
    6não se alegra com a iniqüidade,
    mas se regozija com a verdade.
    7Suporta tudo, crê tudo,
    espera tudo, desculpa tudo.
    8A caridade não acabará nunca.
    As profecias desaparecerão,
    as línguas cessarão,
    a ciência desaparecerá.
    9Com efeito, o nosso conhecimento é limitado
    e a nossa profecia é imperfeita.
    10Mas, quando vier o que é perfeito,
    desaparecerá o que é imperfeito.
    11Quando eu era criança, falava como criança,
    pensava como criança, raciocinava como criança.
    Quando me tornei adulto,
    rejeitei o que era próprio de criança.
    12Agora nós vemos num espelho, confusamente,
    mas, então, veremos face a face.
    Agora, conheço apenas de modo imperfeito,
    mas, então, conhecerei como sou conhecido.
    13Atualmente permanecem estas três coisas:
    fé, esperança, caridade.
    Mas a maior delas é a caridade.
    Palavra do Senhor.

    Evangelho – Lc 4,21-30

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 4,21-30
    Naquele tempo:
    Entrando Jesus na sinagoga disse:
    21‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura
    que acabastes de ouvir.’
    22Todos davam testemunho a seu respeito,
    admirados com as palavras cheias de encanto
    que saíam da sua boca.
    E diziam: ‘Não é este o filho de José?’
    23Jesus, porém, disse:
    ‘Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio:
    Médico, cura-te a ti mesmo.
    Faze também aqui, em tua terra,
    tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum.’
    24E acrescentou:
    ‘Em verdade eu vos digo que nenhum profeta
    é bem recebido em sua pátria.
    25De fato, eu vos digo:
    no tempo do profeta Elias,
    quando não choveu durante três anos e seis meses
    e houve grande fome em toda a região,
    havia muitas viúvas em Israel.
    26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias,
    senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia.
    27E no tempo do profeta Eliseu,
    havia muitos leprosos em Israel.
    Contudo, nenhum deles foi curado,
    mas sim Naamã, o sírio.’
    28Quando ouviram estas palavras de Jesus,
    todos na sinagoga ficaram furiosos.
    29Levantaram-se e o expulsaram da cidade.
    Levaram-no até ao alto do monte
    sobre o qual a cidade estava construída,
    com a intenção de lançá-lo no precipício.
    30Jesus, porém, passando pelo meio deles,
    continuou o seu caminho.
    Palavra da Salvação.
  • 2ª-feira da 4ª Semana Do Tempo Comum

    1ª Leitura – 2Sm 15,13-14.30;16,5-13a

    Leitura do Segundo Livro de Samuel 15,13-14.30;16,5-13a
    Naqueles dias:
    13Um mensageiro veio dizer a Davi:
    ‘As simpatias de todo o Israel estão com Absalão’.
    14Davi disse aos servos que estavam com ele em Jerusalém:
    ‘Depressa, fujamos, porque, de outro modo,
    não podemos escapar de Absalão!
    Apressai-vos em partir,
    para que não aconteça que ele,
    chegando, nos apanhe, traga sobre nós a ruína,
    e passe a cidade ao fio da espada’.
    30Davi caminhava chorando,
    enquanto subia o monte das Oliveiras,
    com a cabeça coberta e os pés descalços.
    E todo o povo que o acompanhava,
    subia também chorando, com a cabeça coberta.
    16,5Quando o rei chegou a Baurim,
    saiu de lá um homem da parentela de Saul,
    chamado Semei, filho de Gera,
    que ia proferindo maldições enquanto andava.
    6Atirava pedras contra Davi
    e contra todos os servos do rei,
    embora toda a tropa e todos os homens de elite
    seguissem agrupados à direita e à esquerda do rei Davi.
    7Semei amaldiçoava-o, dizendo:
    ‘Vai-te embora! Vai-te embora,
    homem sanguinário e criminoso!
    8O Senhor fez cair sobre ti
    todo o sangue da casa de Saul,
    cujo trono usurpaste,
    e entregou o trono a teu filho Absalão.
    Tu estás entregue à tua própria maldade,
    porque és um homem sanguinário’.
    9Então Abisai, filho de Sarvia, disse ao rei:
    ‘Por que há de este cão morto
    continuar amaldiçoando o senhor, meu rei?
    Deixa-me passar para lhe cortar a cabeça’.
    10Mas o rei respondeu:
    ‘Não te intrometas, filho de Sarvia!
    Se ele amaldiçoa
    e se o Senhor o mandou maldizer a Davi,
    quem poderia dizer-lhe: ‘Por que fazes isto?’.
    11E Davi disse a Abisai e a todos os seus servos:
    ‘Vede: Se meu filho, que saiu das minhas entranhas,
    atenta contra a minha vida,
    com mais razão esse filho de Benjamim.
    Deixai-o amaldiçoar,
    conforme a permissão do Senhor.
    12Talvez o Senhor leve em conta a minha miséria,
    restituindo-me a ventura
    em lugar da maldição de hoje’.
    13aE Davi e seus homens seguiram adiante.
    Palavra do Senhor.

    Salmo – Sl 3,2-3. 4-5. 6-7 (R. 7b)

    R. Levantai-vos, ó Senhor, vinde salvar-me!

    2Quão numerosos, ó Senhor, os que me atacam; *
    quanta gente se levanta contra mim!
    3Muitos dizem, comentando a meu respeito: *
    ‘Ele não acha a salvação junto de Deus!’R.

    4Mas sois vós o meu escudo protetor, *
    a minha glória que levanta minha cabeça!
    5Quando eu chamei em alta voz pelo Senhor, *
    do Monte santo ele me ouviu e respondeu.R.

    6Eu me deito e adormeço bem tranqüilo; *
    acordo em paz, pois o Senhor é meu sustento.
    7Não terei medo de milhares que me cerquem *
    e furiosos se levantem contra mim.R

    Levantai-vos, ó Senhor, vinde salvar-me!

    Evangelho – Mc 5,1-20

    + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 5,1-20
    Naquele tempo:
    1Jesus e seus discípulos chegaram à outra margem do mar,
    na região dos gerasenos.
    2Logo que saiu da barca,
    um homem possuído por um espírito impuro,
    saindo de um cemitério, foi ao seu encontro.
    3Esse homem morava no meio dos túmulos
    e ninguém conseguia amarrá-lo,
    nem mesmo com correntes.
    4Muitas vezes tinha sido amarrado com algemas e correntes,
    mas ele arrebentava as correntes e quebrava as algemas.
    E ninguém era capaz de dominá-lo.
    5Dia e noite ele vagava entre os túmulos e pelos montes,
    gritando e ferindo-se com pedras.
    6Vendo Jesus de longe,
    o endemoninhado correu, caiu de joelhos diante dele
    7e gritou bem alto:
    ‘Que tens a ver comigo, Jesus, Filho do Deus altíssimo?
    Eu te conjuro por Deus, não me atormentes!’
    8Com efeito, Jesus lhe dizia:
    ‘Espírito impuro, sai desse homem!’
    9Então Jesus perguntou:
    ‘Qual é o teu nome?’
    O homem respondeu:
    ‘Meu nome é ‘Legião’, porque somos muitos.’
    10E pedia com insistência
    para que Jesus não o expulsasse da região.
    11Havia aí perto uma grande manada de porcos,
    pastando na montanha.
    12O espírito impuro suplicou, então:
    ‘Manda-nos para os porcos, para que entremos neles.’
    13Jesus permitiu.
    Os espíritos impuros saíram do homem e entraram nos porcos.
    E toda a manada – mais ou menos uns dois mil porcos –
    atirou-se monte abaixo para dentro do mar,
    onde se afogou.
    14Os homens que guardavam os porcos saíram correndo
    e espalharam a notícia na cidade e nos campos.
    E as pessoas foram ver o que havia acontecido.
    15Elas foram até Jesus e viram o endemoninhado sentado,
    vestido e no seu perfeito juízo,
    aquele mesmo que antes estava possuído pela Legião.
    E ficaram com medo.
    16Os que tinham presenciado o fato
    explicaram-lhes o que havia acontecido
    com o endemoninhado e com os porcos.
    17Então começaram a pedir
    que Jesus fosse embora da região deles.
    18Enquanto Jesus entrava de novo na barca,
    o homem que tinha sido endemoninhado
    pediu-lhe que o deixasse ficar com ele.
    19Jesus, porém, não permitiu.
    Entretanto, lhe disse:
    ‘Vai para casa, para junto dos teus
    e anuncia-lhes tudo o que o Senhor,
    em sua misericórdia, fez por ti.’
    20Então o homem foi embora e começou a pregar na Decápole
    tudo o que Jesus tinha feito por ele.
    E todos ficavam admirados.
    Palavra da Salvação.
X