Paróquia Nossa Senhora das Dores - Nova Odessa, SP

Rua Duque de Caxias, 200, 13380-007 - Nova Odessa, SP

(19) 3466-1513

Data

19/10/2020

17º Domingo do Tempo Comum

Como Igreja, Corpo de Cristo, somos reunidos pelo Espírito para tomar parte no banquete eucarístico, nutrir nossa fé e nos fortalecermos no amor mútuo. Apesar de nossas próprias carências, o Senhor nos convida a nos sentirmos também responsáveis pela saciedade do povo faminto. Memorial permanente do mistério pascal de Jesus, a Eucaristia nos revela que o pão, bênção de Deus, se multiplica à medida que é partilhado.

Primeira Leitura: 2 Reis 4,42-44

Leitura do segundo livro dos Reis – Naqueles dias, 42veio também um homem de Baal-Salisa, trazendo em seu alforje para Eliseu, o homem de Deus, pães dos primeiros frutos da terra: eram vinte pães de cevada e trigo novo. E Eliseu disse: “Dá ao povo para que coma”. 43Mas o seu servo respondeu-lhe: “Como vou distribuir tão pouco para cem pessoas?” Eliseu disse outra vez: “Dá ao povo para que coma; pois assim diz o Senhor: ‘Comerão e ainda sobrará’”. 44O homem distribuiu e ainda sobrou, conforme a palavra do Senhor. ­­– Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 144(145)

Saciai os vossos filhos, ó Senhor!

Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, / e os vossos santos com louvores vos bendigam! / Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! – R.
Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam, / e vós lhes dais no tempo certo o alimento; / vós abris a vossa mão prodigamente / e saciais todo ser vivo com fartura. ­– R.
É justo o Senhor em seus caminhos, / é santo em toda obra que ele faz. / Ele está perto da pessoa que o invoca, / de todo aquele que o invoca lealmente. – R.

Segunda Leitura: Efésios 4,1-6

Leitura da carta de são Paulo aos Efésios – Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz. 4Há um só corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. – Palavra do Senhor.

 

Evangelho: João 6,1-15

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. 2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí com os seus discípulos. 4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus. 5Levantando os olhos e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. 7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”. 8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” 10Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens. 11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. 12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!” 13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o profeta, aquele que deve vir ao mundo”. 15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte. ­– Palavra da salvação.

Reflexão:

As cenas do capítulo seis do Evangelho de João acontecem à margem do lago de Tiberíades. É como que uma síntese da atividade de Jesus na Galileia: a multiplicação do pão, a caminhada sobre o mar, o discurso sobre o pão da vida, a crise dos discípulos. A partilha do pão é fundamental para o ser humano; os evangelhos o relatam seis vezes. Aqui é o quarto sinal narrado no Evangelho de João. Segundo ele, estamos próximos à páscoa, a festa dos judeus. Enquanto o povo se dirige a Jerusalém, Jesus e os seus seguidores afastam-se de Jerusalém e vão para um território pagão, do outro lado do mar da Galileia. Erguendo os olhos, Jesus viu grande multidão que o cercava e se preocupou como alimentar tanta gente. André apresenta um jovem que tem cinco pães e dois peixes. Depois de o povo se assentar, Jesus toma os pães e os peixes, dá graças e os distribui. Todos ficaram satisfeitos e ainda recolheram as sobras. Gestos significativos desse relato: organização do povo, partilha e cuidado para evitar o desperdício. Três gestos fundamentais para acabar ou pelo menos diminuir a fome do povo.

(Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

X